os melhores de 2014 – filmes

boyhoodO ano foi muito fraco para o cinemão dos grandes estúdios, mas ótimo para o cinema independente. Estes foram os filmes que mais gostei.

Boyhood  Com certeza muita gente viu este filme e se perguntou “mas é só isso?” Boyhood vem na contramão do que o cinema tem feito nas últimas décadas. Não é apenas o grande feito de ter filmado por 12 anos com o mesmo elenco, mas a preciosidade de se filmar o tempo. Ou melhor, a passagem de tempo. Ao ver Mason passar da infância para a vida adulta, nós nos vemos, refletimos sobre a vida e como somos aproveitados pelo tempo.

O Grande Hotel Budapeste  Não escondo de ninguém que sou fã dos filmes do Wes Anderson. Com este, virei mais fã ainda. Além do deslumbre visual que é um personagem do filme, Anderson conta uma história dentro de outra, contada num outro tempo. É sobre como é difícil, belo e triste viver num mundo que não existe mais.

Guardiões da Galáxia É exatamente como um filme de aventura deve ser: empolgando, divertido e esperto. Fazia tempo que não via um filme assim, desses que devem ser visto com um monte de gente, com refrigerante e pipoca nas mãos. James Gunn criou um universo próprio e com personagens que a gente gostaria de ter como amigos. Fora isso, o filme usa muito bem as cores (num momento em que todo mundo copia o Batman sombrio do Nolan) e é um bom exemplo de estrutura de roteiro.

Pais e Filhospais e filhos  O diretor japonês Hirokazu Koreeda sabe filmar relações familiares, principalmente a partir do olhar das crianças. Ele fez isso muito bem no sofrido Ninguém Pode Saber e repetiu em Pais Filhos. O filme começa com uma família aparentemente perfeita. O filho está sendo entrevistado para ingressar numa concorrida escola particular e mente na frente dos pais. Mente porque sabe que o pai gostaria que ele desse aquela resposta. Um telefonema da maternidade abala a família com a notícia de que a criança foi trocada ao nascer. Ao conhecer o outro garoto, o pai logo se identifica nele. É alto, esperto, competidor. O filho fica de lado, contando apenas com o carinho da mãe. Mas e agora, como faz? Koreeda dá a resposta no final. Paternidade vai além do sangue. É o filme que fez Spielberg chorar e querer fazer um remake.

Vidas ao Vento Sinceramente, achei a primeira metade do filme bem chata. Mas a segunda metade faz o espectador lembrar que se trata de um filme do Hayao Miyazaki. Mesmo tratando-se da vida do projetista Jiro Horikoshi, que construiu a maior máquina de guerra do Japão, Vidas ao Vento fala de amor, a beleza etérea e sonhos. Neste caso, sonhar é o mesmo que voar, é a interseção entre Jiro e Miyazaki, que encerrou sua carreira como diretor de longas. É o filme mais pessoal dele. “Ergue-se o vento! Há que tentar viver!”

O Expresso do Amanhã Eu realmente gostei deste filme. O diretor Joon-ho Bong montou um mundo tão artificial quanto real. 1984 encontra Jogos Vorazes. Não há muito o que explicar, basta ver.

Relatos Selvagens Filmes com segmentos independentes geralmente são fracos, mas o diretor e roteirista Damiem Sfrizon fez um filme forte, vibrante e divertidíssimo. No fundo, é um estudo sobre a natureza humana. O último segmento é de rolar no chão.

Sob a Pele Quando eu terminei de ver o filme, eu não sabia o que tinha visto nem se tinha gostado. Meses se passaram e eu continuo com ele na minha cabeça. É só fechar os olhos para ver a Scarlett Johansson num infinito negro, andando como uma loba e tirando a roupa, aí entra a assombrosa música da Mica Levi. Não sei explicar exatamente por que gosto do filme.

Idaida Eu sou lento pra certos filmes e livros. Com Ida foi assim. A fotografia é absolutamente deslumbrante, mas só compreender a personagem um tempo depois – e achei genial. No filme, Ida vive num convento no interior da Polônia. Ela é órfã e está prestes a fazer seus votos. A madre diz que entrou em contato com uma tia e sugere que Ida vá passar um tempo com ela antes de fazer os votos. Ida vai, meio contrariada, e não poderia ter encontrado pessoa mais diferente dela. A realidade é sofrida e ela passa a experimentar uma vida completamente diferente da que estava acostumada.

os melhores de 2014 – televisão

Eu acho engraçado quando alguém diz que televisão não é bom ou emburrece. Claro que há programas super ruins que nem divertidos conseguem ser, mas geralmente, quem diz essas coisas vê a televisão como um televisor. Aquele aparelho quadrado ou retangular, com canais engessados numa grade e só com uma fórmula. Para nós, a televisão é muito mais que isso. É onde estão as melhores ideias, as histórias mais bem contadas e onde vive o entretenimento mais ambicioso e inteligente. 2014 foi um ano muito bom, mesmo sem Breaking Bad, mas com excelentes novidades. Esta é a lista do que gostei mais na tv.

True Detectivetrue detective Gosto muito deste formato mais reduzido e autoral de temporada, escrita por um só cara (no caso, Nic Pizzolato) e dirigida também por uma só pessoa, Cary Fukunaga. Revendo o primeiro episódio, a vontade é de aplaudir ainda mais a série. Matthew McConaughey e Woody Harrelson simplesmente zeraram em cada cena. O ponto alto pra mim foi o episódio Who Goes There, com um plano-sequência de seis minutos de tirar o fôlego!

Penny Dreadfulpenny dreadful O prazer de ficar boquiaberto com um texto refinadíssimo, direção de arte de babar e um elenco perfeito. Sem surpresas, Eva Green se destacou como a sensitiva Vanessa Ives. Ela simplesmente fez coisas que ninguém nunca tinha visto, e isto num gênero manjadíssimo. Um série empolgante e de uma beleza impressionante. Achei ridículo o Globo de Ouro ter esquecido dela.

Game of Thrones – 5a temporadagame of thrones A cada temporada a série melhora e fica mais complexa. Não é pouca coisa, trata-se da adaptação de uma série de livros ainda mais complexa e de escala nunca antes vista. Aconteceram tantas coisas incríveis nesta temporada que eu fico até atordoado para escolher uma. Mas nada supera o julgamento do Tyrion e seu discurso. É o subtexto, a genialidade do texto, o elenco, a direção e… Peter Dinklage! Globo de Ouro, cadê a indicação dele?

Transparenttransparent A Amazon decidiu se aventurar pelo drama e jogou cinco pilotos para o público decidir quais deveriam ter continuidade. Vários dos projetos tinham bastante apelo junto ao público, mas eles ficaram curiosos com Transparent, que conta a história de Mort. Divorciado e pais de três filhos adultos, ele decide se abrir sobre a vontade de mudar de sexo. É uma série bastante delicada, algo que a gente já viu nos outros trabalhos da Jill Soloway, uma série sobre a busca da identidade. Jeffrey Tambor está equilibradíssimo num papel muito difícil.

The Good Wife – final da 5a e início da 6aThe Good Wife A morte repentina de Will ficou para trás ainda na 5a temporada. O texto foi bastante generoso para que Julianna Margulies e Christine Baranski dessem um show. Ainda houve a introdução de um novo personagem, Finn, tão bom que entrou para o elenco regular. Já o início da 6a temporada teve altos e baixos. O humor estava forçado, as subtramas estavam picotando demais a história central… mas a série voltou aos trilhos e teve momentos brilhantes, como quando Alicia é forçada a encarar o lado B desua família.

Shameless – 4a temporadaEpisode 411 A série sempre rodou com o volume lá em cima, com um tom quase exagerado, mas a última temporada decidiu se acalmar e fincar os dois pés no drama. Houve uma melhora radical no texto (não que fosse ruim), o que possibilitou o elenco inteiro mostrar que ele é a melhor coisa da série. Emmy Rossum, mais fantástica do que nunca, foi a imagem da desolação, raiva e impotência com sua Fiona passando por maus bocados. E Jeremy Allen White estava estupendo como Lip, que precisou assumir as responsabilidades da família e provar para ele mesmo que seu destino poderia ser diferente.

masterchefTodo mundo fala muito mal da tv aberta. Eu vejo pouco, é verdade, minha paciência é cada vez menor. Mas quando ela acerta, merece ser elogiada. Meu Pedacinho de Chão veio com roupa de fábula nesta nova versão. Uma novela totalmente artesanal e de um capricho raro. O elenco super enxuto emocionou ao evoluir seus personagens com a chegada da professora Juliana. Foi lindo ver Gina ter sua feminilidade despertada e Zelão descobrir o amor. Outra novela de destaque, e outro remake, foi O Rebu. Poderia ter sido mais curta, mas a trama foi um luxo só, de muito bom gosto.

E por fim, o Masterchef. É verdade que a versão brasileira não teve aquele galpão imenso como cenário, também não teve super provas nem a masterclass, mas a competição foi emocionante sem ser piegas. Os jurados foram duros e, ao mesmo tempo, corações mole. Eles mergulharam fundo na competição. Não deu para não se apaixonar pela Paola Carosella, a mais afiada dos três jurados. As redes sociais explodiram e todo mundo ficou chocado com a eliminação dos favoritos Flávio e Cecília. Ninguém conseguiu conter as lágrimas com a eliminação do Estefano e a redenção do Mohamad. Foram pra final as merecedoras. Mas o mais legal é que a cozinha brasileira foi celebrada.

homem do ano – chris pratt

chris prattE o gordinho engraçadinho virou o protagonista do ano. Aos 35 anos e depois de dezenas de participações em séries e filmes, Chris Pratt roubou a cena em Os Guardiões da Galáxia, a maior surpresa do cinema 2014. Mais do que a transformação física, Pratt se encaixou perfeitamente na pele de Peter Quill e conquistou o público que ainda não o conhecia (ou o subestimava) com seu carisma e timing perfeito para a comédia. Ele retorna para o segundo filme, ainda sem data, mas em 2015 ele protagoniza o aguardadíssimo Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros. Ironicamente, o diretor James Gunn sequer cogitava em testá-lo para o papel. “O gordinho de Parks and Recreation?”. Por sorte, Pratt conseguiu um minuto de atenção e Gunn teve que admitir que ninguém seria melhor que ele.

Chris nasceu em Minnesota mas cresceu na cidade de Lake Stevens, no estado de Washington. Foi muita coisa antes de virar ator, até stripper. A primeira oportunidade surgiu quando ele era garçom do Bubba Gump Shrimp Company, no Havaí. Uma cliente, a diretora e atriz Rae Dawn Chong ficou encantada com seu estilo despachado e trapalhão e o convidou para fazer seu filme, o curta Cursed part 3. Sua carreira como ator não demorou para deslanchar, em 2002 ele integrou o elenco da série Everwood, onde conheceu Emily VanCamp, com quem namorou por um bom tempo. Logo depois da série, ele entrou para The O.C., onde fez o ativista Ché. Depois do fim da série, Chris participou de filmes como O Procurado e Garota Infernal. Fez parte do elenco de filmes que foram indicados ao Oscar em três anos consecutivos – O Homem que Mudou o Jogo, A Hora Mais Escura e Ela. Fez também dois filmes estrelados pelo Morgan Freeman em que um homem comum é sequestrado por uma mulher forte para fazer algo extraordinário: O Procurado e Uma Aventura Lego.

Em 2009, ele se casou com a atriz Anna Feris, com que tem um filho. Anna também foi criada no estado de Washington e colecionava insetos. Com o casamento, eles juntaram suas coleções. Nas horas vagas, Chris gosta de pescar e caçar, mas não deve ter muito tempo em 2015. Logo no início do ano, Parks and Recreation volta para sua última temporada. E no verão americano, Jurassic World deve roubar todas as atenções.

mulher do ano 2014 – tilda swinton

tildaDizem que ela é o David Bowie e ninguém duvida. De beleza andrógena e camaleônica, Tilda caminha por todos os gêneros com a mesma inteligência e talento. Em 2014, ela apareceu em três dos melhores filmes do ano. Começou como a velhinha de O Grande Hotel Budapeste, foi a ministra de O Expresso do Amanhã e ainda brilhou como a vampira romântica de Amantes Eternos. Aos 54 anos (falando que ela é mesmo uma vampira), ela está no auge do reconhecimento de sua carreira como atriz.

Tilda nasceu na Escócia, filha de um lorde escocês com uma australiana. Estudou em diversas escolas independentes, inclusive foi colega de classe da princesa Diana, e se formou em Ciências Sociais e Políticas na Universidade de Cambridge. Sua carreira como atriz começou no início dos anos 1980, quando ingressou em companhias de teatro, mas o palco nunca foi seu forte. A passagem para o cinema foi pelas mãos do diretor Derek Larman, com quem fez diversos filmes e curtas, incluindo Caravaggio, War Requiem e Eduardo II.

Antes da fama, ela disse que era uma apostadora profissional. Eu era uma apostadora profissional. Morava em Londres e houve alguns anos em que não ganhei dinheiro fazendo nada além disso. “Eu trabalhava com outras coisas, claro, mas realmente fazia dinheiro apostando em corrida de cavalos”. O mainstream veio nos anos 2000, quando Danny Boyle a escalou para A Praia. Desde então, ela passou a intercalar filmes independentes com blockbusters, como Até o Fim, Constantine e As Crônicas de Nárnia. Ganhou um Oscar (Conduta de Risco), foi indicada ao Globo de Ouro três vezes, além de outros 55 prêmios em festivais e premiações, incluindo Berlim e Veneza.

Na vida pessoal, Tilda tem um casal de gêmeos. Muito se especulou sobre sua vida afetiva, que ela teria dois relacionamentos simultâneos. Os boatos foram desmentidos por ela em diversas ocasiões. Atualmente, ela vive na Escócia com seus filhos e o escritor/pintor neozelandês com ascendência germânica Sandro Kopp. A revista GQ também a elegeu a mulher do ano. Para 2015, ela tem dois filmes agendados – A Bigger Splash e Trainwreck.

rapidinha nos bastidores – esqueceram de mim

esqueceram de mim locacaoEu já fiz um post parecido, mas este aqui é exclusivamente sobre os dois primeiros Esqueceram de Mim – são cinco no total! Afinal, já virou um clássico de Natal, todo ano passa em algum canal (ou alguns canais) e a gente sempre vê. Na Polônia é tipo show do Roberto Carlos e já registrou recorde de audiência.

Os dois primeiros filmes foram escritos por John Hughes (de Curtindo a Vida Adoidado e outros excelentes filmes adolescentes dos anos 1980) para que Macaulay Culkin protagonizasse. Eles haviam trabalhados juntos em Quem Vê Cara Não Vê Coração (1989). Apesar disso, o diretor Chris Columbus, que anos depois acertaria a mão na escolha do elenco de Harry Potter, testou centenas de garotos para ter certeza de que Culkin era o ator perfeito.

esqueceram culkin pesci
Joe Pesci, Macaulin Culkin e John Hughes atrás (de óculos).

Robert De Niro recusou o papel do ladrão Harry. Joe Pesci ficou com o papel, que evitou contato com Culkin para que ele pensasse que ele era mau. Chris Columbus precisou alertar Pesci várias vezes para não falar palavrão, já que se tratava de um filme familiar. Pesci mordeu mesmo o dedo de Culkin, que ficou com uma cicatriz.

O ator John Heard, que viveu o pai de Kevin, achava que o filme seria terrível e um tremendo fracasso. No início da produção do segundo filme, ele se desculpou. Esqueceram de Mim entrou pro livro dos recordes como a maior bilheteria de um filme de comédia – 553 milhões de dólares, isso em 1990.

A foto da namorada do Buzz é de um menino vestido de menina. Chris Columbus achou que seria maldoso botar a foto de uma garota para chamá-la de feia.esqueceram namorada

A casa usada para as cenas externas fica em Winnetka, ao norte de Chicago, e virou uma atração turística. O endereço é 671 Lincoln Ave, Winnetka, mas o street view botou um blur pra preservar a intimidade dos proprietários.

O único dos cinco filmes a ter neve de verdade é o segundo. A neve do primeiro filme era de cera e plástico, que mais tarde foi doada para uma companhia de ópera. esqueceram neve

Daniel Stern, o ladrão Marv, aceitou ter a aranha colocada no seu rosto para apenas um take. Seu grito foi em silêncio para não assustá-la e depois foi inserido o som. A mão que pega a aranha não é do Macaulay Culkin, mas de um dublê.

John Candy, melhor amigo de John Hughes, ia fazer uma participação no segundo filme. Seu personagem foi inspirado no seu papel em Antes Só do que Mal Acompanhado, também de Hughes. Sua participação no primeiro filme foi feita em apenas 23 horas. A fala em que ele diz que já esqueceu seu filho na funerária foi feita de improviso.

A família de Kevin não se deu conta do esquecimento no aeroporto porque a passagem dele foi acidentalmente para o lixo, como dá pra ver no gif abaixo. One Thing That You've Definitely Never Noticed About "Home Alone" Before

A primeira cena a ser filmada foi a do Kevin na farmácia. Já na cena em que a família chega em Paris, é possível ver a família do tio com um cartaz de boas-vindas.

Fãs que acreditam que Elvis não morreu acreditam que o rei aparece no filme, nesta cena.

Para o segundo filme, Macaulay Culkin recebeu um cachê de 4.5 milhões. É, até hoje, o maior cachê para um ator com menos de 12 anos.

O nome da loja de brinquedos é fictício, uma homenagem ao produtor Duncan Henderson, mas as cenas foram feitas na loja FAO Schwarz, em Nova York,  enquanto as cenas externas foram gravadas no centro de Chicago, no Rookery Building. As crianças que participaram da cena no interior da loja puderam levar um brinquedo como parte do cachê.

O talkboy, o gravador que Kevin usa no segundo filme, não existia na época da produção. Ele foi lançado pouco tempo depois da estreia do filme.

Donald Trump faz uma participação no lobby do Hotel Plaza, hotel que era dele na época.

Esqueceram de Mim 2 foi filmado em Chicago, Nova York e num estúdio em Hollywood, onde foram feitas as sequências da casa em reformas do tio do Kevin.

Os filme que Kevin assiste nos dois filmes são ficcionais, feitos especialmente para a produção. Chamam-se Angels with Filthy Souls (anjos com almas sujas) e Angels with Even Filthier Souls (anjos com almas ainda mais sujas). Esqueceram de Mim 2 foi o último filme de Ralph Foody, que interpretou o gangster.

Os bastidores do segundo filme. 

 

feliz natal

natalQuerido leitor, te desejo um Natal iluminado, animado, cheirosinho e delicioso! Muita paz, muito amor e muitas risadas! Nada de piadinhas de pavê.

Aproveito também para dizer também que estou saindo de férias! Mas volto luego.

Eu sei que o blog anda meio de lado, com umas teias de aranha aqui e acolá, mas há posts programados – até por isso que eu estava sem atualizar. Enfim, os posts estão bem bacanas! E se algo de muito incrível acontecer neste mundinho de cinema e televisão, eu post na página do FB, que é esta aqui!

Boas Festas e nada de comer depois da meia-noite!!!

sim, pequeno kim

kimA Sony decidiu mesmo não lançar A Entrevista, nem nos cinemas nem em qualquer outro formato, tudo para evitar o 11/09 hacker que a Coreia do Norte ameaçou. Eu, parte da imprensa, algumas celebridades e o presidente Obama achamos um erro se curvar diante de terroristas. Mas por que a Sony decidiu ficar um prejuízo de mais de 40 milhões de dólares e ainda pagar de covarde?

Cinco das maiores redes de cinema dos EUA se recusaram a exibir o filme. No entanto, George R. R. Martin (sim, o pai do Jon Snow) ofereceu sua própria sala de cinema para a estreia, e ainda disse que há várias salas independentes que adorariam exibir A Entrevista. Paulo Coelho fez uma oferta para comprar os direitos do filme por 100 mil dólares para exibir gratuitamente em seu blog. A resposta é mais em baixo, como George Clooney percebeu ao passar um abaixo-assinado que ninguém assinou.

Tirando alguns filmes e roteiros vazados, nada de muito importante foi hackeado, apenas e-mails com as fofoquinhas que a gente gosta, mas tão bobas quanto A Entrevista deve ser. O problema é que em Hollywood, tudo é terceirizado e todo mundo acaba trabalhando com todo mundo. Um “fulano falou mal de você” pode fechar portas e impossibilitar projetos. Mesmo assim acho a Sony covarde, devia liberar o filme na internet pra a gente ver o pequeno Kim Jong-un sendo explodido ao som de Fireworks (é, da Katy Perry).

só o amor é real

amantes eternosAdam está desiludido e completamente entediado com os rumos da humanidade. Através do seu ingênuo e competente assistente, ele consegue uma bala de madeira maciça para se suicidar. Sentindo a depressão do seu amante de séculos, Eve decide encontrá-lo para mostrar que o mundo ainda é um lugar interessante para se viver. Adam é interpretado por Tom Hiddleston (<3), e Eve, pela deusa Tilda Swinton. Juntos, eles formam o casal de vampiros mais cool, romântico e interessante de todos os tempos, melhores até que Catherine Deneuve e David Bowie em Fome de Viver.

Amantes Eternos (Only Lovers Left Alive) é um daqueles pequenos filmes que se tornam queridos logo na primeira cena, mas, claro, só pra quem concorda com a proposta do diretor Jim Jarmusch. É um filme para flanar e se perder num romantismo sensorial esquecido, sem melação, apenas o prazer de viver. Os nomes dos protagonistas vêm do conto O Diário de Adão e Eva, de Mark Twain, um dos heróis que povoam a parede de retratos de Adam, um músico brilhante que vive do anonimato. Tanto ele quanto Eve vivem num tempo anacrônico, que mistura livros antigos, instrumentos medievais e iPhones.

Adam mora numa casa que já viu dias melhores, numa Detroid destruída pela recessão. Já Eve deixa Tanger, no Marrocos, para encontrá-lo, levando apenas o essencial. Como só o amor é eterno, a decadência de Detroid se torna bela e a vida dos dois não poderia ser mais completa, até a chegada da irmã de Eve, a adolescente Ava (Mia Wasikowska). Mas mais ameaçador que Ava é a impureza do homem e como os dias de hoje estão cada vez mais difíceis para poetas, sonhadores e amantes. Há muito tempo não via algo tão romântico.

WebRep
currentVote
noRating
noWeight

tudo o que você precisa saber sobre o sonyleaks

angelina pascal
Angelina Jolie e Amy Pascal no Women in Entertainment Breakfast, dias depois dos primeiros vazamentos. Tortinha de climão. “Luta na lama!”, pensou uma mulher que só observava.

O FBI está investigando os frequentes ataques de hackers que a Sony Pictures está sofrendo desde o fim de novembro, vazamentos de material e informações sigilosos que, alguns acreditam, são comandos pela Coreia do Norte. Até o Brasil está sendo afetado pelos ataques. Segundo o canal Sony, as intermináveis reprises só estão acontecendo porque houve um ataque ao sistema que armazena dados e envia o sinal para o mundo todo. Mas que tudo vai se normalizar no dia 15 de dezembro.

A Entrevista. Tudo pode ter começado com o novo filme do James Franco e Seth Rogen. Em A Entrevista, os dois fazem jornalistas contratados pelo CIA para assassinar o ditador KimJong-un. Sobre o filme, vazaram que o orçamento foi de 44 milhões. O cachê de Franco foi de 6.5, enquanto o de Rogen foi de 8.4 milhões (inclui o trabalho como roteirista). 241 dólares foram gastos numa mesa de maconha, cocaína, pílulas e calcinhas, mas, pelo valor, não as drogas não devem ter sido de verdade, mas um adereço de cena. Assim que a Coreia do Norte se manifestou contra o filme, a Sony entrou em modo crise e e-mails começaram a ser trocados. Os primeiros diziam que o filme não deveria ter o nome Sony em lugar algum, mas Columbia Pictures (um braço do estúdio). Memorandos foram enviados orientando equipe e atores a não associarem o filme à Sony.

007 – Spectre. O novo filme do James Bond deve ser o mais caro da série, 300 milhões, segundo um memorando interno do presidente da MGM. Para reduzir custos, Jonathan Glickman mandou cortar o final dramático na chuva e diminuir o número de vagões na sequência de luta em cima do trem – que ele relembra que já aconteceu no filme anterior. Spectre é o nome de uma organização terrorista comandada pelo super vilão Blofeld, que deve aparecer na sequência de Spectre.

George Clooney e pode vir quente que eu estou fervendo. Clooney vai dirigir um filme sobre Rupert Murdoch, o magnata da comunicação. Num e-mail para os diretores da Sony, ele se diz muito feliz e que o filme será maior que Cidadão Kane, e que ele vai fundo. Doa a quem doer. Logo, se alguém tiver o rabo preso, pode preparar o processo.

Scoot Rudin e Amy Pascal vs. Obama, Angelina e Megan Ellison. O produtor Rudin e a co-chefe de estúdio Amy Pascal supostamente trocaram e-mails fazendo piadas de filmes que o presidente Obama teria gostado. Todos com protagonistas negros, como O Mordomo da Casa Branca e 12 Anos de Escravidão. Eles também falaram de Cleópatra, em que Angelina Jolie que David Fincher a dirigisse. O filme ainda está em desenvolvimento, mas Rudin teria mandado Pascal calar a boca de Angelina para não atrapalhar Fincher em Jobs. Segundo um dos e-mails, ele a chama de “pirralha mimada e sem talento” que destruiria o filme e sua carreira. Em outro e-mail, Rudin teria chamado a produtora (e dona da Annapurna) Megan Ellison de “lunática bipolar de 28 anos”. A Sony não confirma a veracidade dos e-mails, mas tanto Rudin quanto Pascal pediram desculpas para quem se sentiu ofendido e que o conteúdo dos e-mails não reflete o que realmente pensam. Ellison foi a única que respondeu, via Twitter: “Lunática bipolar? Sempre me vi como excêntrica”.

Cleópatra. Angelina Jolie trocou vários e-mails com Rudin e Pascal. Em um deles, ela fala sobre a disponibilidade dos diretores em potencial. Ela diz que o sueco Thomas Alfredson (Deixa Ela Entrar) é ótimo, mas ela pede mais uma conversa com David Fincher, que pode ser um pouco difícil, mas é brilhante e conhece o projeto. Em resposta, Rudin escreve “meio difícil?!? Como Hitler é meio anti-semita!!!! Acho que muitos desses diretores da lista estão disponíveis. De quem você gosta?”

Michael Fassbender . O cinebiografia escrita pelo Aaron Sorkin estava nas mãos da Sony. Num e-mail entre ele e Pascal, Sorkin tenta vender Tom Cruise para ser o protagonista depois que Leonardo DiCaprio saiu do projeto e o nome do Christian Bale surgiu, mas Pascal diz que Fassbender é o favorito. Em resposta, Sorkin diz que não faz ideia de quem é Michael Fassbender e que o filme precisa de um ator famoso. Vários atores foram cogitados pelos dois, mas Pascal disse que o diretor Danny Boyle estava comprometido com Fassabender. Num outro e-mail, ele volta atrás e diz que Fassbender é o melhor ator da atualidade. “Se o filme for bem, ele vai estampar todas as capas de revistas e será indicado para todos os prêmios. Um produtor (um chefão da Columbia) mencionou o pênis de Fassbender. “Faz você se sentir mal com o tamanho normal do seu”. Jobs acabou saindo da Sony e encontrou casa na Universal.

Homem-Aranha no Capitão América. Era uma vontade da Marvel que o Homem-Aranha aparecesse no próximo filme do Capitão América. Mas a Sony não liberou.

Os Caça-Fantasmas. Parece que é Bill Murray que está empacando o projeto e a Sony está estudando todas as medidas para que o filme aconteça. Já o filme com mulheres que o Paul Feig dirigirá, será completamente diferente, segundo um e-mail de Pascal para Ivan Reitman. Os personagens serão diferentes, a história será diferente, mas se conectará aos dois filmes dos anos 1980. Segundo ela, Jennifer Lawrence, Melissa McCarthy, Lizzy Caplan e Amy Schumer aceitaram fazer.

Anjos da Lei encontra Homens de Preto. É uma vontade da Sony cruzar os universos de Anjos da Lei com o de Homens de Preto num próximo filme marcado para 2016/17.

Sobre a qualidade dos filmes. Uma mensagem de empregados do estúdio para veteranos mostra insatisfação com a qualidade dos projetos. “Embora a gente faça filmes inovadores de vez em quando, como A Rede Social, Moneyball e Os Homens que Não Amavam as Mulheres, continuamos fazendo filmes mundanos padrão Adam Sandler”, diz a mensagem. Mas para a Sony, os filmes do Adam Sandler são muito mais lucrativos.

As identidades secretas dos atores. Por motivo de privacidade, atores usam pseudônimos para se registrar em hotéis e fazer reservas: Tom Hanks (Harry Lauder – um comediante escocês – ou Johnny Madrid), Tobey Maguire (Neil Deep), Daniel Craig (Olwen Williams – nome de seu avô), Natalie Portman (Lauren Brown), Jude Law (Mr. Perry) e Jessica Alba (Cash Money).

Clicando aqui, você encontra as incríveis apresentações em Power Point dos filmes do estúdio. Puro Arrested Development.

vai valer pelas anfitriãs

amy poehler tina feySAG e Globo de Ouro anunciaram seus indicados esta semana e… WTF! Injustiçados há sempre, mas tem umas coisas que não tem explicação. Num ano fraco pro cinema e com tantas coisas excelentes na tv, por que raios os americanos continuam com o fetiche por Downton Abbey? Não acho que a série seja ruim, mas ela está degraus abaixo de muitas outras. O que a Maggie Smith (com todo o respeito) faz de tão incrível assim? Ela é uma baita atriz, mas faz a Violet com os pés nas costas. Adoraria ver a Emmy Rossum no lugar, que teve momentos de alto brilhantismo em Shameless.  E cadê Mad Men, que teve uns episódios meio estranhos mas, no geral, foi excelente como sempre?

A impressão que eu tenho é que vai ser uma temporada de prêmios bem… baunilha. Pelo menos a apresentação vai ser, pela terceira e última vez, das musas Tina Fey e Amy Poehler. Os únicos felizes (até agora) são os do TeamAniston, que viram sua musa ser indicada e Angelina ficar fora da disputa (por direção) do Globo de Ouro. E o Peter Dinklage, Globo de Ouro?