a vila está em silêncio

Acho que ele foi para Acapulco/Guarujá. Daqui a pouco ele volta. roberto gómez bolaños

Anúncios

os garotos perdidos

Muito curioso pra ver o Peter Pan do Joe Wright. Pan conta como Peter (Levi Miller) foi parar na Terra do Nunca e como o Capitão Gancho (Garrett Hedlund) virou o vilão da história. Hugh Jackman vive Barba Negra, o primeiro inimigo de Peter. O filme está previsto para estrear em julho de 2015. 

pan - levipan - jackmanpan - hedlundpan - maraE Rooney Mara como Princesa Tigrinha. O figurino e a trilha são assinados pelos parceiros de Wright desde Orgulho e Preconceito, Jacqueline Durran e Dario Marianelli. Espere luxo.

pan

o trailer do trailer

Taxi-DriverDurante dois anos, o Google fez uma pesquisa com frequentadores assíduos de cinemas para saber como eles se informam sobre os filmes, ou melhor, o que eles procuram para decidir que filme ver. A resposta não surpreende, o que muda é como a indústria tem usado esses resultados. 39% das pessoas vêem o trailer oficial, quatro em cinco pessoas, vão direto ao Youtube. 11% buscam mais informações sobre o elenco e 8% se baseiam na opinião de amigos.

Com a internet, o trailer se tornou um evento, um produto, uma notícia, a estrela de toda campanha publicitária de distribuição em massa. A virada de mesa aconteceu com Star Wars – A Ameaça Fantasma, numa era pré-youtube, quando 3,5 milhões de pessoas assistiram ao primeiro trailer na internet. Hoje, os estúdios liberam o trailer do trailer para que sites façam podcasts desses teasers, que são analisados frame por frame, falando o óbvio como a narração de uma partida de futebol. Ganha quem faz mais barulho, então vêm os trailers que ninguém sabe quem deixou vazar, afinal, tudo numa produção cinematográfica é absolutamente controlado. Mas qual é o problema do trailer?

Num mundo em que os filmes querem agradar uma maioira absoluta, eles mostram demais. Mostram todas as piadas boas, mostram partes que não fazem parte da montagem final e caem na previsibilidade do atual padrão hollywoodiano. Pegue os trailers dos três últimos filmes do Tom Cruise pra ver como parecem ser do mesmo filme.

Mas não é só o trailer que faz as pessoas decidirem ir ao cinema. Dependendo do gênero, a busca é outra. Se for uma comédia, as pessoas querem saber que atores estão no filme. Para quem quer ver um filme de ação, o que vale é saber o diretor. Não necessariamente o nome, mas que filmes ele tem no currículo. Já quem vai ao cinema ver um filme de terror, mais vale a conveniência do horário – o resto não importa, pois geralmente o filme é ruim. Só as pessoas que vão em família lêem as críticas, pois não há nada mais contrangedor do que assistir uma cena de sexo ao lado das crianças – e vice-versa.

Crítica especializada não vende filme. O que vende mesmo é o que dá pra vender. A grande maioria do público vai ao cinema sem saber a sinopse ou qualquer outra informação, então o que faz as pessoas irem ao cinema é o marketing. Por isso um blockbuster sai tão caro e precisa faturar o triplo do orçamento para não sair no prejuízo.

no papel 2

teoria de tudoJá começou a temporada de prêmios e os estúdios estão liberando os roteiros de seus filmes de ouro! É só clicar no nome pra ler os bonitinhos. Tem Boyhood (lendo o roteiro, descobrimos que o nome da mãe é Olivia), A Culpa É das Estrelas, A Teoria de Tudo e Garota Exemplar.

Boyhood, A Culpa é das Estrelas, A Teoria de Tudo, St. Vincent, Garota Exemplar, James Brown.

não era bem assim

Alguns filmes eram bem diferentes do resultado final.

genio indomavelGênio Indomável. O filme todo mundo já viu. Will é zelador do MIT e um gênio da matemática que precisa da ajuda do psicólogo interpretado pelo Robin Williams para encontrar uma direção. No entanto, o roteiro original do Matt Damon e Ben Affleck era um thriller sobre o FBI tentando transformar Will num criptologista. Por conselho do presidente da produtora Castle Rock e do diretor Rob Reiner, que revisou o roteiro, Damon e Affleck reescreveram o roteiro focando na relação do Will com o psicólogo Sean.

uma linda mulherUma Linda Mulher. Esta história já apareceu uma ou duas vezes aqui no blog. O título original era $3000, uma referência ao valor que a prostituta Vivian receberia por uma semana de trabalho e que possibilitaria realizar seu sonho: conhecer a Disney. A história original era um drama bem pesado, tão pesado que muitas atrizes recusaram o papel principal, a prostituta viciada em cocaína que morria de overdose no meio da estrada. Julia Roberts era uma estrela em ascensão na época e o roteiro foi transformado numa comédia romântica.

ouijaOuija – O Jogo dos Espíritos. Aqui o brinquedo não é muito conhecido, mas a brincadeira sim. É a famosa brincadeira do copo, que nos EUA tem esse nome por conta do jogo da Hasbro. A ideia da empresa, feliz da vida com os lucros de Transformers, era fazer um filme de aventura bem família, como Transformers e Piratas do Caribe (o sonho de todo estúdio). Mas a Universal e a Hasbro decidiram não correr riscos, então o orçamento de 100 milhões para um filme de aventura virou um terrorzinho adolescente de 5 milhões, que já faturou mais de 55 milhões.

hancockHancock. O roteiro final era bem melancólico, deprê e sombrio, comparado a Despedida em Las Vegas, mas com um super herói. O título era Tonight He Comes. A ideia era tão interessante que Tony Scott e Michael Mann tentaram dirigir o filme, mas ele acabou nas mãos de Will Smith e do diretor Peter Berg. Well…

os fantasmas se divertemOs Fantasmas Se Divertem. O filme é mais comédia que terror, mas o roteiro original era só terror. O acidente que mata o casal no início do filme era bem explícito e Beetlejuice era um fantasma assassino e estuprador que queria matar todos na casa. Ainda bem que mudaram, imagina ficar sem uma cena assim!

o novo ciclo da disney

big heroHá menos de 10 anos, a Disney não sabia o que fazer com seu departamento de animação. Desde 1995 o estúdio não tinha um grande sucesso (de público nem de crítica) e os bastidores estavam em frangalhos, com fechamentos de sub-departamentos e demissões em massa. Em 2007, a Disney comprou a Pixar por quase 7.5 bilhões de dólares e seus executivos, John Lasseter e Edwin Catmull, se tornaram chefes do departamento. A primeira decisão foi cancelar a produção de Toy Story 3 que a Disney queria fazer (a história do recall do Buzz) e depois reestruturam o departamento, mantendo tanto animações tradicionais quanto por computação. Parte das produções passou a ser terceirizada. E agora, no finzinho de 2014, ano sem animação da Pixar, a Disney se surpreendeu com a estreia de Operação Big Hero, que chegou ao topo da bilheteria, deixando Interestelar em segundo lugar.

Vale dizer que Operação Big Hero teve uma campanha de marketing bem tímida, mais encabulada que a de Interestelar. Cheia de si, a Disney aproveitou o momento para anunciar as datas de estréia de suas próximas animações, ambas tradicionais. Zootopia finalmente vai ver a luz do sol em março de 2016, enquanto Moana, em novembro.

Operação Big Hero foi bastante elogiado pela crítica e mantém a boa onda das novas animações da Disney. A nova era começou em 2010, com Enrolados. Dois anos depois estreou Detona Ralph e mais recentemente, o mega sucesso Frozen. Se a onda continuar em pé, o estúdio vai manter os dois anos entre as produções. Giants – nova versão de João e o Pé de Feijão – deve estrear em março de 2018.

gravidade

interestelarO diretor Christopher Nolan disse que 2001 – Uma Odisseia no Espaço é seu filme favorito. E Interestelar, seu mais recente filme, dialoga diretamente com ele. Conversam sobre o tempo, o que somos diante dele e o que nos faz humanos. Enquanto o filme do Kubrick é uma meditação sobre ciência e espiritualidade, Interestelar louva a ciência na mesma medida em que disseca as relações humanas, com seus momentos de egoísmo e altruísmo.

Num mundo sem comida em que o que vale é o dia de hoje, Cooper (Matthew McConaughey), engenheiro e ex-piloto da Nasa, trabalha em sua fazenda com os dois filhos e o sogro. Como em todo filme do Nolan, o protagonista é viúvo. O trigo precisou ser queimado para deter uma praga, que a cada ano destrói mais lavouras. Diariamente, a cidade é invadida por uma nuvem de poeira que aos poucos mata as pessoas. Sem solução na Terra, o que restou da Nasa, chefiada pelo professor Brand (Michael Caine), decide arriscar tudo numa missão praticamente suicida: entrar num buraco de minhoca (um “buraco negro” que leva a outras galáxias) para sondar planetas que serviriam de colônias para os terráqueos. Uma missão anterior teria tido sucesso e está à espera da nova equipe – formada por Amelia (Anne Hathaway), Doyle (Wes Bentley), Romilly (David Gyasi), Cooper e o robô monolito Tars.

A primeira hora do filme é usada para construir os laços de Cooper com sua família, principalmente com a filha, Murph (Mackenzie Foy – mais tarde Jessica Chastain). Afinal, é preciso ter um bom motivo para enfrentar todas as adversidades e retornar. A viagem e a exploração ocupam as outras quase duas horas. Sendo um filme do Nolan, tudo está ali tem um motivo, e esses motivos são, ao mesmo tempo, o melhor e o pior do filme – umas quatro pessoas saíram do cinema, talvez esperassem algo mais explosivo. Como tudo se explica no final, o filme acaba com um saldo positivo. É o melhor filme do Nolan? Não. O mais empolgante? Também não. Mas certamente é o mais audacioso e arriscado.

coxinhas e petralhas do outro hemisfério

NEW GIRLÉ difícil projetar coxinhas e petralhas como democratas e republicanos, o título foi mesmo pra chamar atenção. Mas lá nos Estados Unidos, os dois grupos são tão antagônicos como aqui. E quando se trata de televisão, as preferências também são divergentes. A Entertainment Weekly e o instituto de pesquisa Experian Marketing Services resolveram mapear estas preferências.

Os democratas e liberais em geral gostam principalmente de painéis e talk shows, como Real Time with Bill Maher, The Daily Show with Jon Stewart, The Colbert Report e Late Night with Jimmy Fallon. Já na parte de entretenimento, eles gostam de Community, Portlandia, The Newsroom, Saturday Night live, Scandal, The Mindy Project, New Girl, The Good Wife, Cosmos (não aparece na lista dos republicanos), Project Runway, Modern Family e Mad Men.

Os republicanos preferem programas de reforma de casa, carro e canais locais. Adoram, por exemplo, The Duck Dynasty, Buying and Selling, Rent or Buy, Top Gear, House Hunters International… e gostam também de The Voice, que não entrou na lista dos democratas. Eles preferem séries protagonizadas por homens, como Blue Bloods, Longmire, Person of Interest, The Following, The Mentalist, Castle e Intelligence.

Estranhamente, New Girl aparece nas duas listas. Logo, se você não tiver nada em comum com ninguém numa rodinha, comece a falar sobre a Zooey Deschanel. A lista completa está aqui.