na galáxia com os misfits

guardioes da galaxiaJames Gunn estava com um grande problema. Ele tinha desenvolvido a adaptação de Guardiões da Galáxia para o cinema mas não conseguia encontrar um protagonista. Mais de cem atores foram cogitados e vinte fizeram teste de vídeo, gente como Joseph Gordon-Levitt, Aaron Paul, Lee Pace e Eddie Redmayne. Nenhum parecia certo. Durante um bom tempo, a diretora de elenco Sarah Finn insistiu no nome de Chris Pratt. “O cara gordo de Parks and Rec? Você está maluca?”, ele rebatia, até que ela o fez ver um teste de Pratt, de surpresa, e veio o clique: “em menos de 20 segundos eu soube que ele era o cara certo”, disse. 20 segundos também é o tempo que a plateia leva para se identificar com Peter Quill, o personagem de Pratt, que começa o filme ainda na infância, pouco antes de ser abduzido.

Guardiões da Galáxia depende quase que exclusivamente do carisma de seus personagens para funcionar. Eles são desajustados, incorretos e não muito populares para o grande público. Além disso, a história é simples – e precisa ser neste momento. Foi uma aposta arriscada da Marvel, que felizmente comprou a ideia do diretor James Gunn, autor também do roteiro redondinho e com ótimas soluções. Gunn já estava acostumado a ver seus roteiros sofrerem cirurgias radicais pelos estúdios e nunca trabalhou numa produção dessa escala. No entanto, orgulha-se de ter ganhado seu primeiro emprego em Hollywood de Joss Whedon. Então não é de se estranhar a carta de agradecimento que ele publicou neste domingo. Não apenas ganhou o coração do público, mas o filme está prestes a arrecadar quase 100 milhões de dólares no seu primeiro fim de semana, um recorde para uma estreia de agosto.

No filme, Peter Quill é um contrabandista à procura de uma esfera encomendada pelo dono de uma loja, só não sabia que havia mais gente atrás dela. De repente, a galáxia toda quer a esfera, mesmo sem saber pra que serve. Mas se vale muito dinheiro, quem não quer? Dentro dela há uma pedra capaz de destruir planetas, que nas mãos do vilão Ronan (Lee Pace) significa a extinção dos Xandarians. Para impedir que caia em mãos erradas, Quill acaba se juntando a Rocket (Cooper, apenas voz), um guaxinim modificado, o humanoide Groot (Vin Diesel, apenas voz), Drax (Dave Bautista) e Gamora (Zoe Saldana), a única que entende o poder da pedra e como pode derrotar Ronan.

O humor debochado e satírico rende boas e genuínas risadas ao longo das duas horas de duração. É, sim, o mais divertido e adorável filme da Marvel. É também o mais colorido. Gunn evitou o ar sombrio onipresente nos filmes atuais de sci fi e fantasia e fez um filme vibrante, assim como a deliciosa trilha sonora que se apropria de clássicos dos anos 1970 e 1980. Como ele bem definiu, é uma ópera-rock no espaço.

Não dá para falar de Guardiões da Galáxia sem falar de Chris Pratt. O ex-rechonchudo fez uma dieta insana e seguiu uma rotina igualmente louca de exercícios durante sete meses para o filme. Gunn disse que o colocaria no filme mesmo se ele não tivesse emagrecido. Eu também não me importaria. Pratt já está garantido para a continuação de Guardiões (2016), mas antes será visto na última temporada de Parks and Recreation e em Jurassic World, o 4º filme da franquia. Boatos contam que ele protagonizará a adaptação da série Super Máquina (Knight Rider).

Anúncios

2 comentários em “na galáxia com os misfits”

  1. É incrivel como o filme funciona tudo perfeitamente. O elenco é tão bom que você quer ver todos em cena o mais rapido possivel, e quanto mais interação entre eles melhor ❤

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s