começou a largada da temporada de ouro 2015

foxcatcherAntes de mais nada, é preciso dizer que Guardiões da Galáxia foi o filme do verão americano. Faturou quase 280 milhões por lá, e se aproxima dos 550 milhões no mundo todo. Somos todos Groot.

Já estamos em setembro e mês que vem já começa a grande corrida da temporada de ouro. Aqueles filmes que se destacaram em Cannes, Veneza, Sundance já passaram pelo terrível teste do tempo e os grandes estúdios sabem em quais filmes podem depositar suas fichas. Quais estão com fôlego:

Clique nos títulos para ver os trailers.

O Grande Hotel Budapeste. Estreou já na lista de melhores do ano.

Birdman. O novo do Alejandro Gonzalez Iñárritu arrancou aplausos, gargalhadas e o coração da plateia no Festival de Veneza. “Belíssimo”, escreveram. Gravidade provocou as mesmas reações no ano passado.

The Imitation Game. Benedict Cumberbatch como o matemático Alan Turing. Quem está por trás do filme é a Weinstein Company, que tenta repetir o sucesso de O Discurso do Rei e O Artista.

Foxcatcher. A relação intimidadora entre dois irmãos lutadores e o patrocinador deles. Grande barulho nos nomes de Channing Tatum e Steve Carell.

Mr. Turner. O segundo filme britânico do ano explora a vida do pintor J.M.W. Turner. Possíveis indicações para Timothy Spall e o diretor Mike Leigh. Com certeza será indicado ao Oscar de fotografia.

Rosewater. Debut do apresentador John Stewart como diretor. O filme conta a história de um jornalista fica mais de 100 dias detido no Irã para interrogação.

Wild. Reese Witherspoon faz uma mulher que sai para uma jornada de quase 1.800 quilômetros para se recuperar de uma tragédia pessoal.

Gone Girl. Adaptação do livro Garota Exemplar, sobre um homem que se vê no meio de um circo midiático após o desaparecimento da mulher. Ele logo se torna o principal suspeito de seu assassinato. Direção de David Fincher.

Boyhood. A passagem de tempo de um garoto. O filme foi filmado ao longo de 12 anos com o mesmo elenco.

Anúncios

o freguês tem sempre razão

mr. selfridgeA máxima do título tem como autor Harry Gordon Selfridge, o fundador das lojas de departamento Selfridges & Co. Quer dizer, a paternidade da expressão ainda carece de mais informações, há quem diga que a autoria é de Marshall Field (que mais tarde virou Macy’s), quando Selfridge ainda trabalhava na loja, mas foi dele a ideia de fazer contagem regressiva para o Natal (“Faltam….. dias para o Natal”). A grande verdade é que Harry Selfridge foi um grande empreendedor com fortíssimo faro para o marketing. Começou a vida entregando jornais e se aposentou aos 46 anos, milionário. Cansado da aposentadoria, se mudou para Londres com a família e abriu a Selfridges & Co. É esta etapa que a série Mr. Selfridge conta, baseada no livro Shopping, Seduction and Mr. Selfridge, de Lindy Woodhead.

Quem faz Harry Selfridge é Jeremy Piven, um ator que não gosto muito, mas que está muito bem no papel do homem sedutor, pai de família, mulherengo e… inseguro. O drama é light, mas nem por isso é desinteressante. Pelo contrário, todos os personagens que orbitam naquele universo de luvas, chapéus e colônias são fascinantes. Tem Agnes, a jovem trabalhadora e promissora, Victor, o garçom ambicioso e Lady Mae, a socialite mais astuta de Londres. Resumindo, é uma delícia de se assistir!

Atualmente, Mr. Selfridge roda sua terceira temporada. A primeira entrou para o catálogo da Netflix em agosto.

new blood – adeus, true blood

True Blood acabou! Se você abandonou a série mas quer saber como ela terminou, este post conta tudo!

true bloodO que aconteceu durante a temporada:

No final da sexta temporada, Sarah Newlin e o governador quase exterminaram os vampiros no campo de concentração que eles armaram. Não deu certo, mas eles contaminaram Tru Blood com hepatite v e muitos foram infectados. Sem True Blood, o mundo virou uma guerra, com cidades inteiras sendo exterminadas. Em Bon Temps, Sookie, Jason, Alcide, Andy e Sam propuseram um acordo: cada cidadão teria um vampiro para alimentar e, em troca, teria proteção. Um ataque de vampiros acontece e um monte de gente morre, inclusive a Tara, os vampiros sequestram Arlene, a mulher do Andy e a mulher do Sam, que até hoje não sei o nome. Sookie, Alcide, Jason, Andy e Sam vão atrás delas, enquanto na cidade, o povo resolve fazer justiça com as próprias mãos. Claro, tudo dá errado.

Pam encontra Eric, que está com hepatite v e com os dias contados. Eles voltam para a Louisiana para encontrar Sarah e matá-la. Não só eles estão atrás de Sarah, mas também a Yakuza, já que ela acabou com Tru Blood. O que não se sabia era que Sarah tinha uma irmã vampira. Com a volta de Pam e Eric, descobre-se que os vampiros com hepatite estão no Fangtasia e as mulheres estão no porão, aí temos o melhor flashback da temporada.

O flashback: Nos anos 1980, Eric e Pam foram obrigados a gerenciar uma vídeo locadora e um dia recebem a visita de uma adoradora de vampiros, Ginger, que até então parecia uma pessoa normal. Ginger se apaixona por Eric e se oferece para trabalhar na locadora. Depois de anos, Ginger sugere transformar a locadora numa boate, com dançarinos e um trono para Eric. Pam rouba a ideia de Ginger e a transforma na escrava deles. Pam nunca escondeu que era uma bitch. O sonho de Ginger sempre foi transar com Eric em cima do trono, o que ela acaba conseguindo no final, num ato de bondade dele.

Todos os vampiros maus são mortos e as reféns são resgatadas. Não lembro como nem exatamente quando, mas Alcide morre. Sookie percebe que apesar de ter amado Alcide, seu coração sempre foi de Bill. Eric, Pam e a Yakuza capturam Sarah e descobrem que ela bebeu todo o antídoto. Eric bebe seu sangue e fica curado. A Yakuza prende Sarah para sintetizar seu sangue e começar a produzir New Blood. Nesse meio tempo, Bill pega hepatite da Sookie, e como ela é fada, a doença avança mais rápido. Depois de muito correr, beijar e chorar, Sookie descobre que Eric está curado e leva Bill até Sarah, mas ele se recusa a beber e diz que quer morrer.

Nisso, a mãe do Hoyt também morre (na verdade ela morreu na mesma época que o Alcide) e ele volta do Alaska. Hoyt acaba salvando Jason, Jessica e os filhos do Andy e da mulher dele que foram presos por Violet, a ex-namora vampira e louca do Jason. Hoyt se encanta novamente por Jessica e abandona a namorada, que passa a ficar com Jason.

Último episódio

Bill está quase morrendo e quer que Sookie o mate com sua bola de energia. Gastando sua energia, ela deixaria de ser fada. Para ele, Sookie jamais seguirá com sua vida se ela estiver presa a ele. Ela se recusa. Jessica e Hoyt se casam ❤ porque, para Bill, ela é como se fosse sua filha. Eric e Pam se cansam da Yakuza e fazem Sarah tomar o sangue de Pam para que ela possa ser rastreada. Eles matam todos os japoneses e ficam bilionários vendendo New Blood. Sarah é feita prisioneira no porão do Fangtasia e eles cobram 100 mil dólares de quem quer beber direto da fonte. Enlouquecida, ela passa o resto dos dias com o fantasma do ex-marido, o amado Steve (“I love you Jason Stackhouse”). Bill deixa a casa para Andy, num acordo em que ele deve alugá-la para Jessica e Hoyt por um dólar mensal. Sookie entende a vontade de Bill e aceita matá-lo.

No cemitério, Sookie e Bill fazem uma despedida emocionante. Sookie desiste de matá-lo com a bola de energia, pois não faria sentido ela deixar de ser fada. Aquele papo born this way. Mas ela o mata com uma estaca. Os anos passam e Bon Temps volta ao normal pré-vampiros e outros seres. Sookie seguiu com sua vida, está casada e grávida. Jason continua com a ex do Hoyt e Sam volta com a mulher e a filha – ah, sim, depois da morte do Alcide, eles deixaram a cidade, mas não fizeram falta. Todos ficam felizes como num final de novela: Lafayette com o ex da Jassica, Arlene com o vampiro que a salvou… enfim, quem sobreviveu teve final feliz.

O que fica desse final? O casamento da Jessica com Hoyt, Pam (sempre), a dancinha do Eric dentro do carro e a cara do Jason enquanto tem o sonho erótico com Eric. Sookie, Eric, Jason e Pam – saudades.

True Blood se perdeu há um bom tempo, até chegou a se reencontrar, mas nunca deixou de ser divertida.

baseado em uma história real

evocandoEu jurava que já havia feito um post sobre filmes de terror baseados em fatos, mas não encontrei nada parecido nos arquivos. A ideia veio de um dos posts mais acessados do blog, sobre os bastidores de O Silêncio dos Inocentes. O filme é a adaptação do livro homônimo de Thomas Harris, que se inspirou no caso real de um professor de criminologia que pediu ajuda a um serial killer para investigar um outro assassino.

Quando falam que O Silêncio dos Inocentes foi baseado no caso de Ed Gein, que também inspirou personagens de O Massacre da Serra Elétrica e Psicose, não se trata nem da história nem de Hannibal Lecter, mas de Jame Gumb/Bufalo Bill, o serial killer que costurava uma roupa de pele humana para se transvestir.

Ed Gein era muito próximo da mãe, uma fanática religiosa que impedia que os filhos mantivessem relações com outras pessoas. Depois da morte do pai, o irmão de Ed, Henry, passou a se distanciar da mãe e a criticá-la na frente de Ed. Apesar de não haver provas, acredita-se que Ed matou Henry durante um incêndio. A mãe morreu um tempo depois, deixando Ed sozinho. Ele passou a roubar corpos no cemitério e fazer objetos como abajures de pele, puxadores feitos de bocas, pratos de crânio, uma caixa de vulvas, uma roupa de pele para se transvestir etc. A polícia chegou até ele ao suspeitar que ele estava por trás do desaparecimento de uma jovem. Ed foi preso acusado da morte de duas pessoas e suspeito pelo desaparecimento de mais cinco. Ele passou o resto da vida internado em um manicômio.

Menina Má.com. O produtor David W. Hggins pensou na história após ler um artigo sobre jovens estudantes japonesas que seduziam executivos para bater e roubar. No filme, a personagem de Ellen Page se deixa seduzir por um fotógrafo (Patrick Wilson) para torturá-lo

Evocando Espíritos. Al e Carmen Snedeker queriam ficar mais perto do hospital em que o filho mais velho tratava de um linfoma. O orçamento era apertado, mas eles encontraram o que parecia ser a casa ideal. No porão, onde dois dos filhos dormiam, havia uma saleta com duas mesas funerárias. Pouco tempo depois da mudança, estranhos fenômenos começaram a ocorrer. O filho mais velho, que estava no meio de um tratamento de radioterapia, passou a ficar mais agressivo e a escrever poemas sobre necrofilia. Ele tentou estuprar a prima, que vivia com eles. As crianças viam estranhos na casa e ocasionalmente eram agredidas por uma força. Carmen, Al e a sobrinha foram estuprados por uma força desconhecida. Foi aí que chamaram o casal de demonologistas Ed e Lorraine Warren, que exorcizaram a casa. Há inúmeras controvérsias e contradições sobre a história, mas rendeu um filme.

A Última Profecia. No filme, Richard Gere faz um repórter que vai até a cidadezinha de Point Pleasent investigar o Mothman – Homem-Mariposa – depois de sua mulher descrevê-lo antes de morrer. O Homem-Mariposa é uma criatura alada de dois metros de altura que, segundo dizem, aparece para alertar desastres. De fato, em 1966 e 1967, a polícia de Point Pleasent recebeu diversos chamados relatando a aparição da criatura. Em 1967, a ponte da cidade desabou. Há relatos de aparições antes do terremoto de 1985, na Cidade do México, da explosão da Usina de Chernobyl e do 11 de Setembro.

O Brinquedo Assassino. O autor Don Mancini se inspirou no caso do Boneco Robert para criar Chucky. No início do século passado, em Key West (Flórida), uma empregada deu ao filho do patrão, Robert Eugene Otto, um boneco feito por ela. Dizem que ela era mal tratada e por isso amaldiçoou o boneco com um encanto vudu. Eugene se apegou ao boneco assim que ganhou, tanto que deu seu primeiro nome a ele. Na época, sua irmã tinha acabado de morrer e o boneco se tornou um consolo. Eugene só se separou de Robert quando se mudou para concluir os estudos. O reencontro foi depois que Eugene se casou com Ana e fez do sótão a casa de Robert. Ana sempre achou o boneco esquisito, mas não disse nada. Com o passar dos anos, Eugene ficou cada vez mais abusivo com a mulher, o que seria uma influência de Robert. Com a morte do marido, Ana foi morar com sua família e pôs a casa para ser alugada, mas com uma cláusula: Robert deveria ser o único morador do sótão. Os novos moradores relataram ter ouvido passos, risadas e barulhos, também notaram que Robert mudava de posição constantemente. Por fim, um inquilino trancou Robert dentro de um baú, que só foi aberto anos depois, no depósito de um museu em Key West, Flórida. Ele está exposto no museu e os relatos de movimento continuam.

A Bolha Assassina. Sim, o filme é fantasiosamente baseado num acontecimento.Em 1950, na Filadélfia, policiais encontraram uma enorme “gelatina espacial”, que se dissolveu quando eles tentaram pegá-la. Deve ter sido um super acontecimento na época. A “gelatina espacial” é como uma bola gelatinosa encontrada no alto de árvores ou no gramado. Alguns acreditam que caem em chuvas de meteoros, outros dizem que não passa de muco de sapos e outros animais. Não há grandes estudos sobre elas, pois evaporam muito rapidamente.

A Hora do Pesadelo. Como já mostrado neste outro post, Wes Craven teve a ideia para o filme depois de ler várias reportagens sobre um grupo de refugiados cambojianos que morreram depois de terem um pesadelo. Estes homens tiveram um pesadelo tão traumático que se recusaram a dormir com medo de sonhar com a mesma coisa novamente. Vencidos pela exaustão, acabaram dormindo, mas acordaram gritando e morreram logo em seguida. Os médicos não souberam explicar a causa das mortes, e descartaram problemas cardíacos.

a nova york de the knick

The Knick se passa na Nova York de 1900.  O chão era de terra, havia carroças, vendas, animais mortos… uma cidade completamente diferente da de hoje. No entanto, a série foi gravada em locação, na rua Orchard, no Lower East Side, que ganhou um extreme makeover ao contrário. Tudo da noite pro dia. Placas foram removidas, o chão foi coberto de terra e feno e lojas foram transformadas em quitandas de imigrantes. Os comerciantes da rua foram os únicos que não gostaram da transformação, disseram que ganharam apenas 250 dólares de compensação.knick knick bagel knick cavalo knick equipe knick figurantes knick figurantes 2 knick lojas knick picles knick ruaAs gravações ocorreram em novembro de 2013 e o resultado na tela é impressionante. The Knick estreou no domingo passado nos Estados Unidos e vai ao ar no Brasil pelo canal MAX, às sextas. A série já foi renovada.

rapidinha nos bastidores – variados 3

john carterJohn Carter – Entre Dois Mundos. John Carter, ou A Princesa de Marte, é o filme recordista em tempo na fase de desenvolvimentos: 79 anos. Robert Campett, criador dos Looney Toons, foi o primeiro a tentar adaptar a obra de Edgar Rice Burroughs. Se tivesse prosseguido, teria feito o primeiro filme de animação dos Estados Unidos. Oficialmente, o filme saiu da fase de desenvolvimento em janeiro de 2010, pelas mãos de Andrew Stanton para  a Disney. Há um Mickey numa tatuagem no braço direito de um Dejah, e a rocha em que John Carter é preso tem o formato do D do logo da Disney.

taxi driverTaxi Diver. Como Jodie Foster tinha apenas 12/13 anos na época das filmagens, foi sua irmã mais velha, Connie, na época com 20 anos, quem fez as cenas de conteúdo adulto. Foster foi indicada ao Oscar de atriz coadjuvante pelo papel.

maria antonietaMaria Antonieta. O filme era para ser o segundo de Sofia Coppola, mas com dificuldades em apurar fatos históricos e escrever o roteiro, ela passou a se distrair com uma pequena história que tinha escrito. Essa distração virou Encontros e Desencontros. O Palácio de Versalhes deu carta branca para as filmagens, liberou até a Galeria de Espelhos, que estava fechada para restauração.

a hora do pesadeloA Hora do Pesadelo. Wes Craven teve a ideia para o filme depois de ler várias reportagens sobre um grupo de refugiados cambojianos que morreram depois de terem um pesadelo. Após um pesadelo, eles se recusaram a dormir com medo de ter o mesmo sonho novamente. Vencidos pela exaustão, acabaram dormindo, mas acordaram gritando e morreram logo em seguida. Os médicos não souberam explicar a causa das mortes, e descartaram problemas cardíacos.

Robert Englund levava 3 horas para ser maquiado e calçar as luvas. As mesmas luvas foram usadas na continuação do filme e também em Evil Dead II, mas elas desaparecem depois disso e nunca mais foram vistas. É o primeiro filme de Johnny Depp, que foi acompanhar Jack Earle  Haley no teste. Haley não foi escalado, mas 26 anos depois, foi o Freddy no remake.