uma turminha do barulho

calartsSe uma bomba tivesse caído no momento em que a foto acima foi tirada, este blog e todos os fãs de animação estariam de luto agora. Na foto estão, nada mais nada menos, as pessoas que restabeleceram a tradição da animação na Disney – A Pequena Sereia, A Bela e a Fera e Aladdin – e também lançaram novas propostas, como O Estanho Mundo de Jack, Coraline e Toy Story.

Steve Hillenburg, Tim Burton, Brad Bird, Mark Andrews, Jerry Rees, Chris Buck, John Musker, Genndy Tartakovsky, Leslie Gorin, Mike Giaimo, Brenda Chapman, Glen Keane, Kirk Wise, Andrew Stanton, Pete Docter, Rob Minkoff, Rich Moore, John Lasseter e Henry Selick. Todos foram colegas no CalArts (California Institute of the Arts’ animation) nos anos 1970. E se você não entende por que essa gente toda é artisticamente importante, saiba que, juntos, arrecadaram mais de 26 bilhões de dólares em bilheteria desde 1985.

No início da década de 1960, os veteranos animadores da Disney, aqueles que revolucionaram o mundo com Branca de Neve e os Sete Anões, estavam quase se aposentando. Não havia desenhistas animadores no mercado e as animações só serviam para comerciais ou para tapar a programação da tv no sábado de manhã. Foi quando Disney sentiu a necessidade de formar novos animadores. Não de forma tradicional, teórica, mas no método dele, ensinando todos os ofícios para se realizar um filme.

Disney morreu antes de ver a CalArts funcionando, em 1966, vítima de um câncer de pulmão. Seu plano inicial era trazer Picasso e Dalí para lecionar na escola, o que nunca aconteceu, mas alguns dos animadores veteranos viraram professores. Eles se tornaram mestres de gente como John Lasseter (aceito em 1975 e atual chefe de animação do estúdio) e Tim Burton, um garoto esquisito, nada CDF, que, surpreendentemente, ganhou uma bolsa depois de enviar um vídeo super 8 feito no quintal.

E de repente, aquela geração esquisita que queria seguir uma profissão desconhecida da maioria, devolveu a importância da animação ao cinema. Muitos seguiram seus próprios caminhos, mas todos começaram na mesma escola. E, de uma maneira ou de outra, acabam voltando para a Disney.

A matéria completa sobre a CalArts e sua primeira geração pode ser lida no site da Vanity Fair.

Anúncios

Um comentário em “uma turminha do barulho”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s