laços de família

album de familiaTracy Letts é um premiadíssimo autor que teve três peças suas adaptadas para o cinema. Por August: Osage County, ele ganhou o Pulitzer de melhor drama, em 2008, e também escreveu o roteiro da adaptação, assim como fez com Possuídos e Killer Joe, suas outras adaptações. Em comum, estes três filmes têm uma carga dramática (e violenta, no caso de Killer Joe) asfixiante. Chega a ser exaustivo. Mas no caso de August: Osage County, ou Álbum de Família, uma história familiar em que a lavagem de roupa suja acontece após o sumiço do patriarca, as coisas ficam alguns tons acima do recomendado. Inclusive a Meryl Streep.

A família Weston está esmigalhada. Violet (Streep) e Beverly (Sam Shepard) tem um casamento difícil e cheio de ressentimentos, agravado pela doença, vício e personalidade de Violet. Quando Berverly desaparece, as filhas Barbara (Julia Roberts) e Karen (Juliette Lewis) voltam para a casa da família, onde encontram a irmã Ivy (Julianne Nicholson), a única que ficou na casa vazia. Desse encontro até o final do filme, segredos são revelados, amarguras vêm à tona e todo mundo dá patada em todo mundo. O clímax é quando Barbara ataca a mãe, o pôster do filme.

Dizer que a Meryl Streep não está bem seria uma mentira, mas ela está, sim, acima do tom. Quem brilha mesmo é Margot Martindale, que faz a irmã de Violet. Ela tem ótimas cenas com Streep e Chris Cooper, que faz seu marido. Os outros nomes do dream team têm participações pequenas, o que é uma pena, pois são, nada mais nada menos, que Ewan McGregor e Benedict Cumberbatch (num papel bem diferente do de costume).

O curioso é que McGregor estava no elenco da adaptação de As Correções, que tem um enredo parecido. Mas infelizmente a HBO cancelou o projeto após avaliar o piloto. Depois de ver Álbum de Família, meu desejo de um bom drama familiar só aumentou. Salve Six Feet Under!

Anúncios

3 comentários em “laços de família”

  1. Vi Osage e American Hustle no mesmo dia. Gostei mto mais do primeiro e lembrei do seu comentario, Alexandre. O filme de David O Russel promete mais do q realmente é.
    Ja Osage nao tem nada de novo, as historias sao batidas, mas tem uma organicidade impar. Queria ter visto nos palcos.

    1. Eu gostei do Osage, mas achei o tom meio over. Pensei muito em como teria sido se a Susan Sarandon fosse a protagonista.
      Acho que o American Hustle está perdendo força. O que mais leio é gente achando o filme superestimado. Vou ver quando estrear por aqui, mas sem expectativas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s