esta noite levarei a sua alma

Sexta-feira 13! Buuuu! Ninguém sabe ao certo de onde vem o temor da data. De fato, em 13 de outubro de 1307, uma sexta-feira, o rei Felipe ordenou que todos os cavaleiros templários fossem presos e torturados acusados de heresia e sacrilégio. Há também a superstição de que numa mesa para 13 convidados, um morrerá em breve – uma alusão à última refeição de Cristo com seus 12 discípulos, em que Judas foi o último convidado. No tarô, a 13ª carta é a da morte, e até na mitologia nórdica há uma referência ao 13. Loki, sempre ele, bravo por não ter sido convidado para o jantar de Bado e outros 11 deuses, mandou Hoder disparar uma flecha envenenada no anfitrião. Com isso, a Terra caiu em desgraça.

Nos dias atuais, a sexta-feira 13 é o dia ideal para a estreia de filmes de terror. Nos Estados Unidos, Sobrenatural 2 deve roubar o primeiro lugar de Riddick. No Brasil, o elogiado Invocação do Mal está investindo pesado em marketing. Em comum, o ator Patrick Wilson e o diretor James Wan, que dirigiu o primeiro Sobrenatural.

Em Invocação, Patrick faz Ed Warren, conhecido demonologista que investigou diversos casos sobrenaturais com a mulher, Lorraine. Alguns dos casos viraram filmes e o nome dos dois é bastante citado quando se fala em paranormalidade. O trabalho do casal também é bastante contestado, pois são acusados de adulterar e exagerar fatos. Na casa deles, em Connecticut, foi montado um museu com objetos e relíquias paranormais recolhidos por eles aos longo de décadas. Dá pra ter um tour aqui e muita gente no Youtube também já esteve lá. Deus nos livre! A seguir, como é sexta-feira 13, alguns filmes baseados em fatos, incluindo alguns investigados pelo casal Warren.

THE CONJURINGInvocação do Mal. Começando pela estreia da semana, este é o caso da família Perron, que no início dos anos 1970 se mudou para uma casa isolada em Rhode Island. Coisas estranhas começaram a acontecer logo no primeiro dia e a atividade só aumentou ao longo dos anos, até que se tornaram perigosas. Foi quando o casal Warren foi chamado para investigar. Eles precisavam coletar evidências para que um exorcismo fosse realizado. A raiz das atividades foi apontada para uma bruxa que sacrificou seus filhos em rituais de sacrifício. O que há documentado é que houve muitas mortes dentro da propriedade, mas nada confirma o caso da bruxa. A história da família foi contada num livro pela filha Andrea, que elogiou o filme, embora haja algumas diferenças e deturpações, mas no geral, ela disse que o diretor conseguiu capturar o horror e o caos que a família viveu.

brinquedo assassinoBrinquedo Assassino. O filme acima conta com a participação da boneca Annabelle. No entanto, a boneca é de um outro caso e atualmente está no museu dos Warren. Chucky foi baseado em outro boneco dito possuído, o Robert. No início do século passado, uma empregada deu ao filho do patrão, Robert Eugene Otto, um boneco feito por ela, que dizem ser amaldiçoado. Eugene se apegou ao boneco, tanto que deu seu primeiro nome a ele. Na época, sua irmã tinha acabado de morrer e o boneco se tornou um consolo. Eugene só largou Robert quando se mudou para concluir os estudos. O reencontro foi depois que Eugene se casou com Ana e fez do sótão de sua casa a morada de Roberto. Ana sempre achou o boneco esquisito, mas não disse nada. Com o passar dos anos, Eugene ficou cada vez mais abusivo com a mulher, o que seria uma influência de Robert. Com a morte do marido, Ana foi morar com sua família e pôs a casa para ser alugada, mas com uma cláusula: Robert deveria ser o único morador do sótão. Os novos moradores relataram ter ouvido passos, risadas e barulhos, também notaram que Robert mudava de posição constantemente. Por fim, um inquilino trancou Robert dentro de um baú, que só foi aberto anos depois, no depósito de um museu em Key West, Flórida. Ele está exposto no museu e os relatos de movimento continuam. Alguns acreditam que ele usa a energia das pessoas para ficar mais forte. Obs: não coloquei fotos porque morro de medo de bonecos, mas é só pesquisar no Google para ver.

horror em amityvilleHorror em Amityville. É um dos casos mais conhecidos dos EUA, tudo por conta do livro The Amityville Horror: True Story, de Jay Anson, publicado em 1977. De lá para cá, foram 11 filmes baseados na história da família Lutz, que se mudou para uma casa onde um jovem matou seis membros de sua família 13 meses antes. Segundo o livro, durante os 28 dias em que os Lutz ficaram na casa, eles presenciaram diversos fenômenos paranormais. A última noite teria sido tão terrível que até hoje os filhos não falam sobre ela. O casal Warren investigou a casa e disse que ela era ocupada por espíritos maléficos. No entanto, a história é contestada em seus mínimos detalhes, como a falta de registro de telefonemas feitos à polícia, a inexistência de um bar em que o pai da família passou a frequentar… Fora as alterações que o autor fez nas edições seguintes do livro. Vizinhos também disseram que nunca houve nada anormal na casa nem nos Lutz enquanto moraram lá. Alguns pesquisadores dizem que o próprio Anson chegou a admitir que seu livro é um obra de ficção. O último filme sobre Amityville foi o de 2005, também conhecido como o filme do Ryan Reynolds sem camisa. Em 2013, um dos filhos da família fez um relato sobre os dias na casa.

Anúncios

8 comentários em “esta noite levarei a sua alma”

  1. Deixa ver se entendi… o Chucky não saiu simplesmente da mente de alguém? Foi baseado em histórias de um boneco de verdade? Se for isso mesmo nunca mais assisto aquele filme, nem por diversão. Meu deus do céu, agora sim fiquei com medo.

      1. Lendas? Não, não obrigada.
        Você sabe que quando eu era pequena minha irmã mais velha tinha uma boneca Guigui e Bate palminha (coloca no google e você vai ficar com medo só de olhar kk) e era meio que sinistro porque minha irmã vivia dizendo que as bonecas falavam com ela. Ela sempre me acordava de noite pra dormir comigo porque dizia que a boneca queria brincar com ela. Comigo as bonecas nunca falaram (a não ser por uns episódios estranhos onde a bate palminha batia palma sem ter pilha o0) mas ainda sim eu morria de medo do medo dela kkk. Por fim acabou que minha irmã não aguentou tanta falação e meteu fogo nas bonecas kkkk. Eu hein, ainda bem que nem de boneca eu gosto rs.

      2. Cruz credo! Ainda bem que minha irmã nunca gostou de bonecas. Mas uma vez, uma tia trouxe uns bonecos indígenas de Manaus. Não sei se você já viu, mas eles são pretos, têm um cocar com escamas de pirarucu, olhos vermelhos de semente de não sei o que e dentes de piranha. Escondi o bicho no dia em que ele chegou em casa. Minha mãe o encontrou depois e, vendo que eu não gostava nem um pouco dele, acabou jogando fora.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s