gone man

breaking badHoje à noite Breaking Bad termina sua gloriosa jornada com toda a pompa que nem eu seu sonhos mais delirantes conseguiu imaginar. É o início do fim de mais um ciclo desta era de ouro da televisão, o fim mesmo só acontece em 2015, quando o último episódio de Mad Men for ao ar. Tal qual Tony Soprano, Walter White é um verdadeiro anti-herói e nada de bom deve acontecer com ele. Pelo gancho do penúltimo episódio, talvez nem uma redenção particular. Por favor, Vince Gilligan, dê um momento de paz ao Jesse. Ele merece. Temporada espetacular em que o único defeito foi o celular do Walter ter sinal em qualquer parte do deserto.

À noite também começa o fall season para este blog, com a volta de The Good Wife e a estreia de Masters of Sex no lugar de Dexter. Falando em Dex, alguém viu o último episódio? Disseram que foi tudo o que as últimas temporadas não foram.

lixão sem nina

trashtrash 2Uma das últimas notícias que eu tinha do Stephen Daldry era que ele estava dirigindo a adaptação de Wicked para o cinema. Mas parece que não vai ser agora que o musical vai para as telas. Daldry está (ou estava) no Brasil com Rooney Mara e Martin Sheen filmando Trash, baseado no livro de Andy Mulligan, que foi professor nas Filipinas, Índia, Vietnã e no Brasil. Na história, três garotos que vivem num lixão encontram uma carteira que contem uma carta que denuncia autoridades do lixão. A carta pode mudar completamente a vida dos três, mas também os coloca no radar de policiais corruptos e outros riscos. O livro não determina onde a história se passa, mas Daldry quis que fosse no Brasil.

Morando no Rio desde o fim de 2012, ele trabalha no filme em parceria com a O2. Para ele, mesmo nos lugares mais pobres da cidade, ele enxerga vida e energia, e disse que o Brasil é o lugar onde melhor se consegue treinar não-atores. Um lixão cenográfico foi construído para o filme e teve ajuda da equipe de Avenida Brasil, que Daldry acompanhou e achou fascinante. O roteiro foi abrasileirado e acariocado para que não pareça uma produção gringa feita no Brasil, tipo CSI Miami, que tinha praia em São Paulo e traficantes com tchacos. O filme será quase todo falado em português, mas o trailer deve sair em inglês para não assustar a plateia internacional.

Rooney Mara faz uma professora de inglês de uma ong e Sheen é um padre, como se vê na foto. Selton Mello e Wagner Moura também estão no filme. Selton como um policial violento e Moura como um homem perseguido. Os três garotos escolhidos para os papeis principais são Rickson Tevez, Gabriel Weinstein e Eduardo Luis. Trash deve estrear em maio de 2014. Mais uma indicação pro Daldry?

cinema descartável

monalisaA Mona Lisa é o quadro mais famoso do mundo. Mesmo quem não sabe o nome, conhece a imagem. No Louvre, ela lota a sala de turistas, que sacam suas câmeras para um registro, mesmo que de um Ângulo ruim, e depois vão embora para postar no Facebook. A maioria se decepciona com a tela, ela é pequena, escura e amarelada. Poucos entendem que ela foi o primeiro retrato natural na história da arte. Não há contornos definidos, parece que ela é iluminada por dentro e o semi-sorriso dá uma profundidade humana capaz de interagir com o espectador. É mais que um interesse turístico. A Mona Lisa é tão reproduzida que perdeu o seu significado. O mesmo dá para dizer de outra obra de Da Vinci, A Última Ceia, reproduzida e parodiada constantemente, para o bem e muito mais para o mal. Atualmente, Da Vinci não passa de um personagem do Dan Brown.

Vou da arte plástica ao cinema. Sigo duas ou três páginas sobre cinema no Facebook e elas vivem pipocando artes, charges e paródias usando O Iluminado. De repente, parece que todo mundo passou a venerar o filme. Tanto, que deixou de ser um filme minuciosamente pensado por Stanley Kubrick para ser apenas Jack Nicholson quebrando a porta com um machado ou Danny diante das gêmeas. É muito triste ver essas coisas, pelo menos para mim, é como rebaixá-lo a um mero O Massacre da Serra Elétrica, que é apenas divertido na sua repulsa, e esquece-se que é um horror de arte.

O cinema em geral se tornou isso. As pessoas baixam ou compram o piratex, vêem e depois esquecem. Não sabem dizer quem é o diretor, os atores… nada. No máximo, é “aquele que fez aquele filme que você viu com seu tio”. É a diversão ruim apenas pela diversão. Eu lamento muito. Ainda bem que tenho um blog em que eu posso apenas escrever Scorsese, Kubrick ou Fassbender (porque sim) que as pessoas entendem.

palmas pausadas para o emmy

breaking bad emmyOs produtores do Emmy se espelharam no Oscar e fizeram uma cerimônia bem chatinha, com números musicais nada a ver e sem a irreverência costumeira dos outros anos. Foi meio bocejante. Meu único momento de alegria foi logo no início, com Tina Fey e Amy Pohler (sempre ótimas) anunciando o primeiro prêmio da noite, atriz coadjuvante em série cômica. Merrit Wever era a zembra e até ela levou um susto quando ouviu seu nome (“holly shit”). Estava tão nervosa que só disse “Thank you so much. I gotta go, bye“. kkkkkkk! Meritt merecia esse reconhecimento desde a primeira temporada de Nurse Jackie.

Feliz também por Laura Linney e Anna Gunn. Mas vem cá, Claire Danes e Jeff Daniels? Modern Family ainda? A noite foi chatinha, assim como o tapete vermelho. Por que as pessoas estão tão básicas?

Atualização. Legal mesmo foi o Losers Party, comandado pelos dois:losers party

emmy 2013

Hoje é dia de festa e alegria. Hoje é dia de Emmy!

Ao contrário do que todo mundo pensa, não estou torcendo por Breaking Bad (ano que vem o papo vai ser outro). Se o negócio é merecimento, acho que Mad Men é melhor que a primeira parte da 5ª temporada de Breaking Bad. Bryan Cranston também deve levar o dele, mas minha torcida é por Jon Hamm e Elisabeth Moss na categoria atriz drama. Já como atores coadjuvantes drama, Aaron Paul, Anna Gunn e Christina Hendricks. Acho que as maiores surpresas serão nas categorias de comédia e atriz. Será que vai dar Kerry Washington (Scandal)? E no que vai dar House of Cards? A noite vai ser legal! A entrega do Emmy vai ser transmitida pelo canal Warner a partir das 21h.

Abaixo, como funciona o Emmy.emmy

sangue bom

derekComo todo bom comediante, Ricky Gervais tem um ar meio triste, meio melancólico. Seu humor não é grosseiro, mas pode ser bastante agressivo e até desconfortável para algumas pessoas. Gosto muito dele, por isso Derek, sua nova série, me surpreendeu. Não é uma comédia, mas uma dramédia. No início não entendi bem sua proposta e até tentei ver como um deboche. Leda Nagle, ledo engano. Dramédia é realmente a melhor definição de gênero, as risadas não são constantes (não são gratuitas), geralmente vêm da sinceridade de Dougie (Karl Pilkington), mas é uma série extremamente humana e gentil, muito diferente de tudo que Gervais já fez, e aqui ele atua, escreve, dirige e produz.

Derek (Gervais) tem retardo mental e trabalha como cuidador num lar para idosos. Seus melhores amigos são seus colegas de trabalho Hannah (Kerry Godliman), que administra o lar, e o servente Dougie, além do vagabundo Kev (David Earl), que passa o dia bebendo e coçando o saco . Ao colocar a câmera numa parcela que vive tão isolada da sociedade, Gervais deixa de lado qualquer complicação ou glamour e faz uma série muito simples, que debate sem pieguices os valores atuais e deixa em destaque o coração da produção. Às vezes é tão simples que chega a ser genial.

Tomara que a série ganhe uma segunda temporada. Os sete episódios estão disponíveis na Netflix.

badalo no escritório

The Good WifePodem me jogar um contêiner, mas eu acho uma vergonha Downton Abbey ser indicada ao Emmy e The Good Wife ficar de fora. Falaria o mesmo da segunda temporada de Homeland, mas não tive paciência para ver. Downton é bem feita, tem um ótimo elenco e tudo mais, mas não tem a mesma audácia e força de TGW. Pronto, falei.

Agora, você viram este promo novo (não dá pra colar aqui)? É badalo puro. Tem muitas cenas já vistas no promo abaixo, mas Will descontrolado me deu um susto. Ah, e a Kalinda aparece. 

sem teste do sofá

Quando um ator é certo para o personagem, ele é certo para o personagem.

Garborey Sidibe era um estudante comum quando um amigo a incentivou a fazer um teste para Preciosa. A cena do teste foi uma das mais impactantes do filme. 

Nave Campbell – Pânico.

Liev Schreiber e Meryl Streep – Sob Domínio do Mal. Fazer teste com a Meryl Streep deve te fazer ir ao banheiro umas cinco vezes. 

Jason Momoa falando maori para o teste de Game of Thrones.

E já que Breaking Bad é o assunto do momento no blog, dá-lhe Aaron Paul.

half men

mad menO AMC está dando pulinhos de alegria porque Breaking Bad está rendendo uma audiência digna de The Walking Dead. A quinta e última temporada foi dividida em duas partes: oito episódios foram exibidos no ano passado e os últimos oito estão indo ao ar agora. Com isso, Breaking Bad poderá vai concorrer ao Emmy de 2014, pois além de audiência, o canal também quer prestígio. Aí o AMC decide fazer o mesmo com Mad Men, logo agora que eu estava me acostumando com a ideia de me despedir de vez no ano que vem. Não sei se a notícia é boa ou ruim, só acho que a temporada deveria ter mais de 14 episódios, como anunciado pelo canal.

A única novidade sobre a sétima temporada é que o veterano Robert Towne (Chinatown) entrou para o time de roteiristas.