onde vivem os monstros

círculo de fogoLá nos idos de 2011, Guillermo Del Toro estava muito feliz porque seu projeto dos sonhos estava saindo do papel. Nas Montanhas da Loucura ia ter co-produção de James Cameron, Tom Cruise no elenco e as locações já estavam sendo procuradas no Canadá, até que a Universal cancelou o filme por conta do alto orçamento e classificação etária R. Fuen, fuen, fuen. Não foi desta vez, infelizmente. O jeito foi guardar Nas Montanhas e seguir com um outro projeto, Círculo de Fogo, que estava sendo desenvolvido com o roteirista Travis Beacham (Fúria de Titãs – muito medo). A história é simples: uma fenda se abre na Baía de Hong Kong e dela saem kaijus que destroem cidades do Anel do Pacífico. E para combater estes kaijus, nada melhor que robôs gigantes comandados por duas pessoas dentro deles – conectadas por um sistema neural. Como este é um filme de Del Toro, as coisas são muito melhores e complicadas do que parecem.

Assim como seu colega Alfonso Cuarón, Del Toro é um diretor humanista. Ele ama monstros, robôs, armas etc, mas antes de mais nada, ele enxerga o que é humano nestas criaturas. O roteiro de Círculo de Fogo não conta com os melhores diálogos e poderia ser um pouco mais profundo com seus personagens, mas Del Toro faz o que pode e faz muito bem com seu elenco brilhante. Charlie Hunnam (Sons of Arnachy) tem a mesma qualidade do Tom Hardy, é um ator que se conhece muito bem e se joga sem rede de proteção. Ele faz Raleigh Becket, um piloto de jaeger que perde o irmão (também piloto) e volta cinco anos depois para a missão de fechar a fenda.

É interessante ver, ainda no início do filme, Raleigh sangrando sob a armadura e o sangue saindo por uma abertura. Se fosse um filme do Michael Bay, todas as armaduras e jaeger seriam brilhantes de novos e sem um arranhão. São estes detalhes que fazem de Círculo de Fogo, além do espetáculo visual minuciosamente pensado por Del Toro, ser um filme muito melhor que a maioria de seus colegas blockbusters. Ainda falando de elenco, é uma alegria e um prazer ver Idris Elba (Luther, Prometheus), Rinko Kikuchi (Babel), Charlie Day (It’s Always Sun in Philadelphia) e Burn Gorman (The Hour, O Cavaleiro das Trevas Ressurge) fazendo um papel cômico. E ainda tem Ron Perlman e Robert Kazinsky (o Warlow de True Blood).

Não espere um filme cerebral, veja como um filme de férias do Del Toro. Uma grande homenagem aos filmes de kaiju. O 3D não é importante, mas o som da sala de cinema tem que ser muito bom. Depois de ver Círculo de Fogo, eu só quero que alguém dê dinheiro para o Del Toro fazer Nas Montanhas da Loucura como bem entender. E fim de papo.

ps: antes do filme começar, exibiram dois trailers de Gravidade. Se o negócio já era tenso na tela do computador, no telão, em 3D, eu nem respirei.

Anúncios

2 comentários em “onde vivem os monstros”

  1. Evangelion >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>.. Pacific Rim.

    E sobre o trailer do novo filme da tia Sandra: eu já estava na ponta da cadeira quase berrando “QUE O ESPAÇO CARREGUE LOGO A SANDRA BULLOCK PELAMORDEDELS~~”

    Oks, brincadeiras a parte: enquanto fá de tokusatsu, achei Pacific Rim fraco. O roteiro de Flashman e Changeman dá banho naquilo lá. E olha que eu fui pro cinema com baixas expectativas (melhor coisa do mundo é fazer isso).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s