vestígios dos dias

amorConfesso que vi Amor meio que por obrigação. Nada a ver com o tema, mas os filmes do Michael Haneke às vezes me cansam – ou melhor, quase sempre. Amor não é diferente, a crueza e o realismo fazem você querer um pouco de ilusão, mas ao mesmo tempo te hipnotiza pela delicadeza e dedicação.

Num confortável apartamento em Paris, Georges e Anne gastam os dias ouvindo música clássica e lendo. O apartamento é amplo, com tapetes, quadros, muitos livros, móveis, uma vida acumulada. Nós o conhecemos quando Anne sofre um derrame e os acompanhamos até o fim. Com a piora da saúde, o apartamento vai perdendo suas funções, perde claridade e a sala passa a ser apenas um local para receber as ocasionais visitas e esconder delas a mulher acamada, que um dia foi professora de piano e no momento mal consegue cantar uma cantiga infantil.

É doloroso, é triste e é frustrante. O sinal de fragilidade fica piscando o tempo todo. Georges não é iludido, ele sabe que sua mulher não tem volta, tudo o que ele quer é lhe dar conforto e amá-la. O trabalho de Jean Louis-Trintgnant e Emamuelle Riva é magistral! Que bom que o mundo está reconhecendo-o. É o Poema de Natal.

Anúncios

rapidinha nos bastidores – figurinos 2

Na primeira parte da rapidinha nos figurinos, foram comentados apenas filmes de época, fantasia e ficção científica. Desta vez, o foco é nos figurinos contemporâneos (ou que se passam na nossa realidade).

O Iluminado. É um dos meus filmes favoritos de todos os tempos. Há mil coisas a serem analisadas, como os cenários, mas o foco aqui são os figurinos. Só dando uma recapitulada, O Iluminado conta a história de Jack, que aceita ser zelador de um hotel nas montanhas durante o inverno. Ele, a mulher e o filho se mudam para lá, onde Jack começa a enlouquecer. O filme é de 1980 e Stanley Kubrick, que nunca foi um sucesso de bilheteria, achava que estava ficando para trás, pois bons diretores estavam dirigindo filmes de terror e mudando os patamares do gênero (Eraserhead, O Exorcista, O Bebê de Rosemary). O Iluminado foi a terceira parceria com a figurinista Milena Canonero. Apesar de muito controlador, Kubrick gostava de ouvir a opinião dos outros (seja de quem fosse) e teve um ótimo relacionamento com Milena.

o iluminado wendy inicioA família de Jack é de classe média, então Milena pensou no figurino como roupas compradas por catálogo. Danny está sempre bem menininho, suas cores principais são azul e vermelho. No início do filme, ele está com Wendy e ela veste roupas tão infantis quanto ele. As cores são as mesmas. A relação dela com o filho é mais igualitária que maternal. Aliás, o comportamento de Wendy é infantilizado e se transforma ao longo do filme, algo que fica evidente nas suas roupas. Jack, durante a entrevista de emprego, veste o que acredita ser uma roupa profissional e que o identifique como um escritor, algo que ele almeja ser. Quando chegam ao hotel, Jack e Wendy estão com suas roupas “profissionais”, é a única vez que as cores de suas roupas combinam. Danny, por sua vez, conhece uma versão adulta de si mesmo, Dick Hallorann. Note que Danny veste uma camisa azul e uma jaqueta azul marinho, e Hallorann também usa uma camisa azul e um blazer azul marinho.o iluminado wendy e jacko iluminado danny e hallorann

Durante o filme, Wendy é quem mais alterna roupas. Ela volta a usar as cores infantis quando brinca com Danny, usa roupa de mulherzinha para levar o café para Jack e também roupas utilitárias para fazer o trabalho que seria de Jack.o iluminado wendy trabalhadora o iluminado wendy roupão

Já Jack muda de vez quando Wendy o acusa de ter agredido Danny. Ele vai para o bar e encontra seu primeiro fantasma. Jack veste uma jaqueta vermelha, que ele não vai mais trocar até o fim do filme, mas repare que a cor da jaqueta é a mesma do smoking do atendente.o iluminado jack baro iluminado bar

Por fim, Wendy já está exausta de enfrentar Jack e decide tirar um cochilo (sempre achei essa parte estranha). O que ela veste? O roupão de Jack, o mesmo que ele usa quando conversa com Danny e diz que jamais o machucaria. Finalmente o figurino dos dois se completa.o iluminado jack e dannyo iluminado wendy e danny

A Origem. O figurino pode tirar a grande dúvida do filme: estaria Cobb sonhando ou na realidade? Além disso, o figurino de A Origem se destaca pela inteligência de conseguir vestir seis homens com estilos diferentes sem choques. O feito é do figurinista Jeffrey Kurland, o mesmo que conseguiu fazer os peitos da Julia Roberts crescerem em Erin Brockovich, e a solução foi fazer tudo sob medida.

Este é mais um exemplo de como o figurino se casa perfeitamente com o filme. Ele se baseia mais em arquitetura que em qualquer outra coisa. Apesar de cada personagem ter seus padrões de cores e texturas, Kurland não pensou em dar uma imagem definida a cada um. Na verdade, ele, Chris Nolan e o diretor de fotografia Wally Pfister pensaram no que seria mais adequado de acordo com cada personagem. Enquanto Cobb veste ternos mais soltos, mais quadrados, os ternos de Saito são mais justos, por exemplo. Ariadne está sempre com um lenço de seda no pescoço e Arthur usa ternos de três peças. Há uma cena em que Arthur e Cobb usam jaqueta de couro, embora elas tenham estilos completamente diferentes. Tudo para fazer o personagem de Cillian Murphy acreditar que se tratava de uma quadrilha.arthur cobb

Na sequência inicial, no castelo japonês, Kurland teve um pouco mais de liberdade. Para Saito, ele desenhou uma camisa-kimono (nagajuban) depois de fazer uma pesquisa de vestimenta japonesa. Ele quis dar um aspecto futurista e de poder (o cenário é um castelo medieval com interiores modernos), ao mesmo tempo respeitar o passado. Já Mal é a personificação do estado emocional de Cobb, a personagem com várias personalidades. É a femme fatale, a mãe, a esposa, a vilã e a vítima. Por isso usa um vestido tão provocante.a origem saito e mala origem saito cobb

Bom, por último, a grande resposta. No final do filme, há uma ligeira diferença no figurino das crianças. Repare que a menina usa uma blusa branca por baixo do vestido. Isto indicaria que Cobb estaria vivendo a realidade. Mas a decisão final é de cada um.a origem crianças

O Segredo da Cabana. Para quem não viu o filme, trata-se de uma declaração de amor ao cinema de horror, e o figurino é parte importantíssima. Logo no início, apenas pelas roupas identificamos quem é quem, todos personagens clichês de filmes de terror como A Hora do Pesadelo, Sexta-Feira 13 e Halloween. Tem a vadia que teve um caso com o professor, a menina inocente com namorado, o atleta, o intelectual e o maconheiro chapado. Os cinco vão passar uns dias numa cabana no meio da floresta, então já imaginamos que só a mocinha virginal vai sobreviver, talvez algum dos rapazes também. Acontece que, e é aí que entra a genialidade do filmes, os esteriótipos se invertem. A menina virginal fica assanhadinha, o intelectual passa a parecer um atleta e vice-versa, apenas o maconheiro continua maconheiro, e por um importante motivo. Esta mudança começa ainda no começo, na obrigatória parada no posto de gasolina. A menina inocente é chamada de “piranha” pelo dono do posto. Essa mudança foi proposital e bem pensada pela figurinista Shawna Trpcic e os responsáveis pelo filme, Drew Goddard e Joss Whedon. o segredo da cabana

promoção – o vencedor

Com 7 pontos marcados, Fausto é o grande vencedor da promoção para ganhar meu livro! Urrul! Utererê! Mas peraí, se alguém tiver alguma reclamação, fale até quarta-feira, dia 30 de janeiro, ou cale-se para sempre! Meu Deus! Reviravolta emocionante digna de Revenge! Houve um empate, e de acordo com as regras da promoção, Mayara Mabili é a vencedora! 8 pontos! A vitória de Downton Abbey como Série Dramática surpreendeu até nesta singela promoção. Bom, como também é regra, o pedido de recontagem vai até quarta-feira.

perdeu, harvey

bradley cooper harvey weinsteinMeses antes da temporada de ouro começar, Argo era favorito ao Oscar, mas ficou para trás porque a Academia não indicou Ben Affleck para Direção. Aí veio Lincoln e tomou a dianteira, colado com O Lado Bom da Vida, que o produtor Harvey Weinstein loucamente tenta empurra goela abaixo. Pois neste fim de semana, Argo surpreendeu e ganhou os prêmios dos sindicatos dos produtores e atores (além do Globo de Ouro), fazendo Weinstein se contentar apenas com o SAG para Jennifer Lawrence. O que ficou certo nestes últimos dois dias: 1) Argo tem grandes chances de ganhar o Oscar. 2) Jennifer Lawrence deve ganhar da Jessica Chastain. 3) Anne Hathaway vai levar a estatueta. 4) Se Argo ganhar, a Academia vai ficar numa super saia justa por não ter indicado Affleck. 5) Daniel Day Lewis vai ganhar.

No início do mês, durante um evento, Harvey Weinstein foi cumprimentar Kathryn Bigelow, diretora de A Hora Mais Escura. Quando ela se virou, a cara dela não foi das mais contentes. Nisso, ele disse “não se preocupe, eu não sou o anticristo”. Mas por que Weinstein é tão detestado e amado assim? No caso de Bigelow, ele quis porque quis ser o produtor do filme, mas ela preferiu a Annapura, a produtora anti-weinstein e que tem salvado muitos bons filmes. Sabe Deus o que mais o ogro disse para persuadi-la.

Harvey e seu irmão Bob se especializaram em dar voz aos filmes independentes europeus, especialmente os britânicos, através da Miramax. Filmes como Ata-me e O Cozinheiro, o Ladrão, Sua Mulher e o Amante. A Miramax foi vendida a Disney, mas os irmão Weinstein continuaram com seu trabalho, também produzindo filmes independentes americanos, como os do Tarantino. O primeiro Oscar veio com O Paciente Inglês. Dois anos depois, Shakespeare Apaixonado ganhou. Em 2005, eles deixaram a Miramax e fundaram a Weinstein Company.

Weinstein virou sinônimo de ganhar Oscar – O Discurso do Rei e O Artista têm dedo deles -, mas os métodos utilizados é que são alvos de críticas. Ele é acusado de editar filmes e ameaçar pessoas. Princesa Mononoke é um exemplo, mesmo recebendo uma espada com uma nota dizendo “sem cortes”. Discussões agressivas são comuns entre ele e diretores e outros produtores. Julie Taymor e o marido foram escorraçados por ele depois de um desentendimento numa sessão-teste de Frida. Em 2004, ele teria brigado com Sydney Pollack no leito de morte sobre o lançamento de O Leitor. Ele desmentiu a história, mas a Newsweek publicou um e-mail provando as ameaças à viúva de Anthony Minghella e a Pollack (ambos produtores do filme).

Weinstein pode ter perdido a batalha, mas já está de olho na próxima. Fruitvale, vencedor do Sundance deste ano, já é dele. Vamos ver o que ele vai comprar em Cannes.

in the loop

looper

Até alguns anos atrás, ficção-científica era um subgênero. Algo voltado apenas a nerds fantasiosos, com enredos superficiais, alguma mitologia e a velha batalha do bem contra o mal. Para quem gostava do gênero, obviamente, via muito mais que isso e de repente, alguns filmes começaram a romper o “preconceito”: Distrito e Planeta dos Macacos, por exemplo. Looper não é, metaforicamente, tão bom quanto estes dois, mas num ano em que tantos filmes foram adaptações ou continuações, foi um alívio ver uma história original e bem contada.

O filme foi escrito e dirigido por Rian Johnson, de Vigaristas e alguns episódios de Breaking Bad. A história dele é ótima, mas ele também teve a sorte conseguir um elenco bem interessante, incluindo o queridinho em alta Joseph Gordon-Levitt. Rapidamente Looper se tornou um filme hype, e realmente tem motivos para ser. é esperto, sem enrolação e cumpre com o que promete, a única coisa que não gostei foi da sobrancelha do Joseph Gordon-Levitt.

i’m ceo, bitch

Os cartões de visita ficaram populares entre a aristocracia e a realeza européia do século XVIII. Era uma questão de etiqueta: se você quisesse visitar alguém, deveria primeiramente mandar um empregado levar seu cartão até a casa do anfitrião. Se ele aceitasse seu pedido, ele lhe enviaria o cartão dele. Se em alguns dias você não recebesse nada, sua visita não era bem-vinda. Caso você levasse o cartão pessoalmente, deveria entregá-lo com uma das pontas dobrada para cima. Com o tempo, nosso hábitos se tornaram mais informais e os cartões de visita deram lugar ao business card, o famoso cartão profissional/de negócios, que chegou a virar uma questão de status, como em Psicopata Americano. No Japão, entregar o seu cartão é uma cerimônia, deve-se segurá-lo com as duas mãos e depois fazer uma reverência. Vejamos alguns cartões de pessoas famosas – mas famosas mesmo!

c zuckerberg c armstrong c bill gates c chuck jones c disney c edward ruscha c einstein c fidel c freud c houdini c irmaos wright c jobs c lady gaga c lincoln c obama c schwarzenegger c steve martinandy warhol

O cartão do Zucker não é verdadeiro, é do A Rede Social.

via Flavorwire.

os filmes de 2013

segredos de sangueEstou como uma criança na Disney, só que uma criança na Disney tem o dia inteiro para conhecer o parque, e eu não tenho tempo nem a habilidade de ver tantos filmes num só dia. Semana passada eu não fui ao cinema, então deixei de ver Amor e Django Livre. E esta semana estreiam mais três filmes que estou louco para ver: A Caverna dos Sonhos Perdidos, O Mestre e Lincoln. A Caverna é um documentário do Werner Herzog que passou na Mostra de 2010 e rapidamente no Instituto Moreira Salles em dezembro de 2010 (!). Já estava planejando comprar o blu-ray numa viagem próxima, e pelo que vejo, manterei meu plano, porque a estreia é só em São Paulo. O Mestre é do Paul Thomas Anderson, eu venero PTA, até casaria se ele quisesse. E Lincoln é o filme do momento. Ainda tenho alguns dias para decidir, mas vendo o calendário de estreias, já “fiz” minha programação.

Fevereiro:  O Lado Bom da Vida. Os MiseráveisO Amante da Rainha. Para Maiores. Anna Karenina. As Sessões. A Hora Mais Escura (quero muito ver).

Março: César Deve Morrer. A Caça. Expedição Kon Titi. Lore.

Abril: MamaTo the WonderA pequena loja de suicídios. Evil Dead – A Morte do Demônio. O Quarteto. Os Sabores do Palácio. Você Está Aqui (filme do Matthew Weiner).

Maio: Segredos de Sangue.

Junho: O Grande Gatsby. Star Trek – Além da Escuridão. Universidade Monstros.

Julho: O Cavaleiro Solitário. Homem de Aço. The Wolverine.

Agosto: Círculo de Fogo. Elysium. Jurassic Park 3D.

Stembro: Kick-Ass 2.

Outubro: Gravidade.

Novembro: Carrie – A Estranha. Jogos Vorazes – Em Chamas.

Dezembro: O Hobbit – A Desolação de Smaug. The Wolf of Wall Street.

Sem previsão: Welcome to the Punch. The Place Beyond the Pines. Compliance.  Only God Forgives. Twelve Years a Slave