antes tarde do que nunca

Que pai mais desnaturado!

Este blog fez 3 anos no último dia 24 e eu nem lembrei! Que vergonha! Bom, não adianta chorar pelo leite derramado. Parabéns para nós e obrigado por tudo! Minha vida é mais legal com vocês!

Anúncios

é o jacob!

E o Eastwood foi falar na Convenção dos Republicanos. Falou com o “Obama Invisível”, uma cadeira. Óbvio que já virou meme e o Invisible Obama ganhou Tweeter com mais de 37 mil seguidores em poucas horas. “Deixe-me parafraseá-lo, Mitt: Aquecimento global? Há! Como você pode acreditar em algo que não consegue ver?”. Gênio!

 

tomara que seja um horror

Não acho que a primeira temporada de American Horror Story tenha sido este primor que muita gente fala. Teve alguns episódios muito bons – personagens também (Tate, Constance, Adelaide e Moira) – outros mais ou menos e um final de temporada bem meia boca. Agora vem a segunda temporada com uma história completamente diferente, que parece um grande clichê de história de terror. Ok, a primeira temporada também foi, mas esta parece mais. Sai o casarão de Los Angeles e entra o manicômio Briarciff, em Massachusetts, no ano de 1964 (porque a década de 60 é um must). Teremos uma freira sádica conflitando um psiquiatra, um médico Frankestein, uma ninfomaníaca, uma repórter lésbica e um punhado de maníacos.

Confesso que não estava muito animado para a segunda temporada, mas o elenco que Ryan Murphy conseguiu reunir  é de babar! Como não querer Jessica Lange, Evan Peters, James Cromwell, Chlöe Sevigny, Sarah Paulson, Zachary Quinto, Joseph Fiennes? Adam Levine será o novo Ben Harmon? American Horror Story: Asylum estreia dia 17 de outubro.

De todos os teasers, estes são os meus preferidos:

Freiras me assustam.

banshee

Quando terminei de ver Six Feet Under, eu corri para saber o que o Alan Ball faria em seguida. A primeira notícia era a escalação de Anna Paquin e uma breve descrição de True Blood. Não entendi patavinas! Vampiros, garçonete telepata e sangue sintético? Esperei para ver e amei True Blood logo de cara! O mesmo está acontecendo com Banshee, a nova série do Alan Ball (ultimamente só tenho falado dele). Ex-condenado especialista em artes marciais que vira xerife de comunidade Amish. Quá? Bom, é esperar para ver, mas já dá para ver o tom pelo teaser divulgado hoje.

Banshee ainda não tem data de estreia definida. A primeira temporada terá dez episódios.

PS: o post sobre os extras de SFU está de pé, mas vai demorar um pouco!

kill bill

Spolier para quem não viu o final da 5ª temporada.

Antes de mais nada, obrigado, (fdp). Com o sinal da HBO aberto para a sua estreia, pude ver o season finale de True Blood “ao vivo”.

Leve impressão de que a próxima temporada poderá ser a última. De qualquer forma, custava colocar esta sequência na montagem final?

Acho que o saldo da temporada foi positivo. A série conseguiu limpar tudo o que estava dando errado e pôs os pingos nos is (panterinhas, fadas chatas, Tara zumbi, Lafayette traumatizado e monstro da fumaça). Os chanceleres da AVM foram uma boa ideia no começo, mas engessaram a série, empurrando tudo para os dois últimos episódios. Roman deveria ter vivido até depois da metade da temporada, assim a ação teria ficado mais intensa e dinâmica. Russel Edgington foi decepcionante, e eu queria muito que o Newlin tivesse insistido no pobre Jason.

De bom, fica a despedida do Hoyt (que pode voltar em algum momento), Lafayette Divo e Tara com Pam (queria um spin-off tipo férias com Pam, Tara e Jessica)!

um bom gato e rato

Para mim, thriller é um gato e rato. É um filme com sequências de ação e perseguição de fazer prender o fôlego, mas acima de tudo, deve ser um filme muito esperto. Infelizmente bons thrillers não aparecem com frequência – de memória, os últimos bons foram Nove Rainhas e Nicotina -, por isso eu adorei Headhunters, filme norueguês que estreou rapidamente nos cinemas e já saiu para locação.

Headhunters é muito bom porque segue a risca a receita básica de um bom thriller. Se tudo o que a gente vê na tela tem um propósito, Headhunters conta sua história em doses precisas, mas o que o deixa muito acima do básico são seus atores. De todo o elenco, só conhecia o dinamarquês Nikolaj Coster-Wandau, o Jaime Lannister de Game of Thrones. Aqui ele faz o antagonista da história, ótimo, mas o filme é do estranho Aksel Hennie (uma mistura de Christopher Walker com Steve Buscemi). Ele faz você torcer loucamente para que se safe.

Contar muito da história mataria o filme, mas ele começa com o personagem de Hennie, Roger, dizendo que precisa compensar a sua baixa estatura com tudo o que o dinheiro pode comprar. Roger é headhunter, ele seleciona CEOs para grandes empresas e multinacionais, e para manter seu padrão de vida, rouba quadros. Ele é muito bom no que faz (oficialmente e ilicitamente), é precavido, tem sangue frio e a arrogância necessária. Aí entra o personagem de Wandau, um ex-CEO que diz ter herdado um quadro valiosíssimo, desaparecido desde a ocupação nazista. Pronto! Com o quadro, Roger não precisaria roubar mais nenhuma outra obra de arte. E como isto é um filme, é claro que as coisas dão super errado.

É um gato e rato, um jogo de raposas mais que espertas.

netflix e chorando com grey’s

Eu estava esperando o meu DVD dar um problema para trocá-lo por um Blu-ray. Quando eu achei que ele estava falhando, era a pilha do controle que estava fraca. Como esperar não é saber, agora os meus DVDs são lidos com luz azul. Além da indiscutível qualidade da imagem (Blu-ray é assustadoramente realista e até a imagem dos DVDs melhoram), e do 3D (não que eu ligue muito), o meu aparelho tem Wi-Fi integrado, o que me permite, por exemplo, ver o conteúdo do Netflix na televisão.

Pode parecer bobagem minha e propaganda gratuita, mas Netflix é tão cômodo! Parece até que eu comprei o Blu-ray por causa dele. Tudo bem que  não há tantos lançamentos, mas revi Jogos Vorazes (e achei ainda melhor vendo pela segunda vez) e estou revendo Community, Mad Men e The Office (tinha esquecido como eu amo Pam e Jim), mas a cereja do bolo, que me faz deitar no sofá e abraçar a almofada é Grey’s Anatomy. Putz, rever a segunda temporada é bom demais! No episódio que vi ontem, uma mulher grávida é operada depois de um acidente de carro. Quase todo mundo está envolvido na cirurgia, Karev cuida do bebê e faz uma cesariana de alto risco, enquanto isso, o homem que causou acidente pede desculpas para a família, e nesse ínterim, Meridith diz para o Derek que ele não tem direito de chamá-la de vagabunda, e ainda tem Izzie abraçada no Denny Duquette. Tudo amarrado com a música mais triste do mundo e que faz todo o sentido: Tragedy, da Brandi Carlile.

O resultado: eu chorando no sofá. Foi tão bom que me fez esquecer o final da oitava temporada (é muita tragédia pra uma série só) e querer muito que a nona chegue logo. Para isso, eu fui atrás!

Segundo Shonda, o primeiro episódio vai se passar dois/três meses depois do acidente, mas o que aconteceu na floresta e o resgate será mostrado no segundo episódio. Como já sabemos, Lexie se foi e Eric Dane (Sloan) saiu da série. Não se sabe o que vai acontecer com Sloan, mas a outra questão é Arizona. Shonda falou sobre Meredith, Christina e Derek, mas não sobre ela, e perguntada sobre o relacionamento de Callie e Arizona, Shonda desconversou. Ela contou também que a oitava temporada se passará no Seattle Grace e em outro hospital, e que no primeiro episódio veremos personagens indo trabalhar em outros lugares. Só Shonda sabe como será essa dinâmica e como os personagens se reagruparão. Fora isso, “alguns cirurgiões ficarão” um tempo sem trabalhar por conta dos ferimentos – lê-se Derek, mas Shonda disse que não será nada como o Burke, na terceira temporada. Ah, April vai voltar, ainda no primeiro episódio!

Shonda classificou a temporada como romântica. Alex encontrará uma pessoa, Christina e Owen vão lentamente se entender e Bailey deve se casar. Uma possível gravidez para Meredith?

Particularmente, Mark não fará falta, também não ligo se a Arizona sair. Tudo que quero é que Bailey tenha uma história de verdade, Alex tenha um momento de felicidade, que nenhum personagem se transforme em zumbi e que a Shonda pare de colocar todo mundo em risco (Meredith, por exemplo, quase explodiu no episódio da bomba, quase morreu afogada e de hipotermia, quase levou um tiro e agora sofreu uma queda de avião). Só isso.

alan ball entrou na sala

Se você sempre quis perguntar algo para o criador de Beleza Americana, Six Feet Under e True Blood, a hora é essa! Nesta segunda-feira, Alan Ball participa do HBO Connect, ao vivo. As perguntas podem ser feita aqui.

Só para lembrar, Alan Ball está se despedindo de True Blood, a partir da próxima temporada, Mark Hudis será o showrunner. Ball parte para sua nova série, Banshee, que deve estrear em 2013.