carnal

Não é segredo que eu sou fã nº 1 do Michael Fassbender, mas depois de ler tantas opiniões sobre Shame, fiquei com um pé atrás para ver o filme. Quer dizer, o pé estava mais para frente que para trás, pois eu já conhecia o primeiro filme do diretor Steve McQueen, Hunger, também protagonizado por Fassbender, então o estilo não seria muito diferente. Em Shame, McQueen é mais íntimo e não tem medo de enfiar um garfo dentro da ferida. E quanto mais ele abre e infecciona o machucado, melhores são as atuações de Fassbender e Carey Mulligan.

Os dois atores fazem irmãos, Brandon e Sissy, ambos são autodestrutivos – a causa não é explicada – e tentam substituir o vazio interior com sexo ou relacionamentos perigosamente dependentes. Brandon leva uma vida asséptica, sem laços e descontrolada pela eterna procura por satisfação sexual. Desconhecidas, prostitutas, revistas e internet. Ele é forçado a mudar sua rotina com a chegada de Sissy, uma cantora com a vida tão bagunçada quanto seu cabelo. De fato, o filme é realmente parado, às vezes são minutos de câmera imóvel, mas basta olhar atentamente para perceber as entrelinhas das atitudes de ambos. E é aí que mora a “beleza” e justificativa de Shame. Michael Fassbender e Carey Mulligan se entregam sem medo de cair, sem pudores e com total entendimento de seus personagens – e isso também é mérito de McQueen.

Eu quero muito saber a opinião de quem já viu o filme, porque me pareceu que eu fui o único que gostou dentro da sessão. Tá certo que tinha muito senhorzinho e senhorinha, mas os comentários que ouvi não foram dos melhores – os outros foram para ver o nada “vergonhoso” do Fassbender. “Vergonha de filme”, disse um, sem ligar ao título. Bom, não é um filme para ver com os pais ou depois do almoço de domingo, só deixo isso claro.

> este foi o post nº 700!

Anúncios

2 comentários em “carnal”

    1. Eu li o seu post e esperava sua visita – mesmo já sabendo da sua opinião. É o “i can’t get no satisfaccion”. O sexo dele não excita nem satisfaz. É agressivo e violento justamente porque ele tenta desesperadamente sentir alguma coisa. Achei o filme bom pra caramba e espero que não seja diminuído por conta da temática.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s