meu melhor inimigo

Depois de muito adiar, finalmente vi Fitzcarraldo, o clássico de Werner Herzog. Só de ler a sinopse, você imagina a grandiosidade do filme. Fitz tem talento para maus investimentos, já tentou contruir a ferrvia transandina e depois produziu gelo no meio da Amazônia, tudo isso durante o auge do ciclo da borracha. Apaixonado por ópera, seu sonho é construir um teatro na “cidade” em que vive, mas para isso, precisa de dinheiro. Ele reforma um navio para explorar seringais  num lugar de difícil acesso, mas para chegar lá, só subindo por um rio que corre paralelamente e depois atravessar uma montanha com o navio. Insano!

Nem a imagem porosa de 1982 consegue diminuir a grandiosidade de cada cena. Se aos olhos do espectador a realização desse filme parece ter sido uma epopéia, os bastidores foram piores devido à barulhenta relação entre o protagonista Klaus Kinski e Herzog.

Kinski era uma primma donna, dava ataques que deixariam Marlon Brando e Christian Bale embraraçados. Não era um ator versátil, encarnava muito bem tipos obcecados, insanos, no limite; exatamente como os personagens de Herzog. Apesar da gritaria, a parceria durou quatro filmes e um documentário póstumo sobre o ator, cujo título é o mesmo deste post. Nos vídeos abaixos, que fazem parte de Meu Melhor Inimigo, Kinski parece possuído ao gritar “só porcos podem comer essa comida que vocês servem” ao se recusar a comer durante as filmagens de Fitzcarraldo. Herzog devolve: “Então não a coma. Devore as suas próprias fezes, se quiser”. No vídeo seguinte, os índios que trabalharam como figurantes, de saco cheio de Kinski, ofereceram-se para matá-lo. Herzog recusou a proposta, ainda precisava do ator para terminar o filme. Mas foi bem tentador.

você é o que come?

O documentário Food Inc. não é nenhuma novidade, mas vale reforçar o pedido de atenção feito pelo diretor Robert Kenner. Você sabe o que está comendo? Sabe de onde vem? Uma vez, um menino de 7 anos foi passar alguns dias num hotel fazenda. Ao ver uma galinha, ele gritou: “Mãe, olha o Kinnor”. História verídica.

O fato é que nossa alimentação mudou muito com os anos. E para alimentar cada vez mais gente, as indústrias precisam produzir cada vez mais. Os três minutos do vídeo abaixo fazem um panorama do nosso consumo apenas observando as geladeiras e estantes de um supermercado.

Vamos pegar o frango como o exemplo. Como o documentário mostra, fazenda são fábricas. Frangos são alterados para engoradar mais rápido e ter mais peito e coxa, porque todo mundo quer peito e coxa. Os pobres ficam confinados sem nunca terem visto a luz do sol. Os excrementos vão se misturando ao solo. Com o peso em excesso, os frangos mal conseguem andar e caem. Ficam quase o tempo todo em contato com o solo contaminado que começam a surgir feridas. É este frango que vai parar numa bandeja de isopor, desossado e limpo.

Alguns produtores e empresas do setor alimentício, é claro, contestam as informações do filme. De uma forma ou de outra, já é tempo de pensarmos no que, de onde vem e para onde vai tudo o que consumimos, não só tratando em alimentos, mas em tudo que nosso dinheirinho pode comprar.

o novo alfa

Há algo em  Sam Worthington que eu não consigo descrever. Algo meio selvagem ou arisco que permanece mesmo quando ele sorri. O ator inglês/australiano é figura cada vez mais marcante em filmes ação/aventura. Colecionou elogios por sua atuação no último Exterminador, participou da revolução Avatar e em abril estará em outro blockbuster, Fúria de Titãs.

Nascido na Inglaterra e criado na Austrália, Worthington trabalhou como pedreiro até ser aceito no Instituto Nacional de Arte Dramática da Austrália. Na verdade, ele fez o teste apenas para apoiar um amigo, que não passaou. Iniciou uma carreira sólida e ficou famoso por lá, até James Cameron chamá-lo para Avatar. Com a indicação do diretor, McG o aceitou em Exterminador. Desde então, o ator de 33 anos tem colhido os frutos de seu trabalho. Com a falta de galãs-alfa, ele ainda vai ter muito trabalho, mas não me surpreenderia se ele decidisse interromper a carreira. Quando fez 30 anos, Worthington vendeu tudo o que tinha por 2 mil dólares, comprou um carro e viveu nele por um tempo – é dessa inquietação que eu falo.

all that jazz

E começa a temporada 2010 de musicais no Rio e em São Paulo.  Comecemos ela capital paulista.

No Teatro Alfa, talvez a estréia mais interessante. Depois de West Side Story, Jorge Takla traz mais um clássico: O Rei e Eu, com Tuca Andrada e Claudia Netto. A temporada vai até agosto e não deve viajar para outras cidades. Os ingressos vão de 40 a 175 reais.  Abaixo, o making of:

Ainda em São Paulo, o musical que ocupa o Abril é outro clássico, Cats. Mas alguém ainda quer ver Cats? Com tanta coisa melhor… Enfim, clássico é clássico e este tem os veteranos Sara Sarres e Saulo Vasconcelos, além da estréia da cantora Paula Lima. Ingressos entre 70 e 240 reais.

E começando a temporada paulistana: Hairspray e O Despertar da Primavera.

Esperava muito mais de Hairspray, mas não deixa de ser divertido. O palco é só de Simone Gutierrez e Edson Celulari, surpreendentemente bem. A escolha do resto do elenco é duvidosa, assim como os cenários. Eu adoro Arlete Salles, mas ela fica a desejar como Velma. Apesar do bom desempenho de Celulari, por que não uma drag no papel, como Divine foi nos filme de Jonh Waters? Dedo de Falabella. O cenário precisariaa ser redimensionado, pois a diferença entre o Oi Casa Grande e o Teatro Bradesco é grande. Ingressos entre 40 e 170 reais.

Depois de grande sucesso no Rio, a versão brasileira de Spring Awekening monta o palco no Teatro Sérgio Cardoso. Adaptação e direção precisas de Charles Möeller e Claudio Botelho. É visívelo cuidado em cada detalhe. O Despertar da Primavera traz um elenco bastante jovem e arrebatador, com destaques para Rodrigo Pandolfo, Pierre Baitelli e Malu Rodrigues. Os adolescentes cariocas abraçaram a peça justamente pelo musical não poupar temas delicados como a descoberta da sexualidade, o corpo, a contestação e o suicídio. O cenario fixo funciona perfeitamente, assim como a iluminação. As músicas podem ser ouvidas e baixadas no site da peça. A temporada paulistana será dividida entre os dias 12 de março a 02 de maio, e 27 de maio a 25 de julho.

No Rio, Falabella e Diogo Vilela estréiam A Gaiola das Loucas no Oi Casa Grande. Não coloco o serviço porque o site do ingresso.com.br não quer abrir e do teatro não oferece links.

Em abril, a dupla Moeller e Botelho estréiam Gypsy no Villa Lobos, com Totia Meireles no elenco. Até o fim do ano, a dupla montará a versão brasileira de Hair.

a jóia e a monstra

Clareece Precious Jones tem 16 anos, é analfabeta, sofre abusos da mãe, tem um filho e está grávida do segundo – ambos do próprio pai, que a estupra desde criança. Esta é a história de Preciosa, que concorre a 6 merecidos Oscars no próximo dia 7. A direção sensível de Lee Daniels não deixa o filme cair num drama de superação barato, mas de nada adiantaria sem suas atrizes. Gabourey Sidibe carrega um piano ao encarnar essa adolescente sofrida sem qualquer expectativa de futuro, conformada com os abusos e de ser chamada de gorda e outros xingamentos pela própria mãe. A comediante Mo’Nique é a monstra e odiável mãe. Sua interpretação é tão forte e crível que transcede a tela e arranca reações de indignação da platéia.

Chega a ser comovente quando Precious foge da realidade e se vê como uma superstar em que todos a amam e respeitam. Dói mais quando a gente sabe que isso nunca vai acontecer. A capa da edição de fevereiro da Vanity Fair traz jovens atrizes que prometem acontecer este ano. Apesar de ser citada na matéria, Sidibe não aparece na foto, onde todas as atrizes são brancas e magras. Questionada sobre o fato, a atriz disse que se sentiria deslocada se estivesse na foto. Mas sejamos francos, Sidibe teria futuro como atriz além de Preciosa?

em breve

Com Avatar amornando, a temporada de premiações chegando ao fim e festivais internacionais, os estúdios e distribuidoras começam a lançar os filmes de 2010. O primeiro bafafá é Ilha do Medo, o novo de Scorsese e DiCaprio. O filme estreou em primeiro lugar nas bilheterias americanas. Alguns dizem que é muito mais que um suspense, outros falam que é pipoca by Scorsese. Mas é impressão minha ou o trailer entrega todo o filme? Ilha do Medo estréia dia 5 de março.

Alice no País das Maravilhas está prestes a estrear nos Estados Unidos, por aqui, só dia 23 de abril. A Disney soltou o primeiro clip do filme. Pelo que se entende, Roberto Justus e Daniel seriam benvindos no reino da Rainha de Copas.

O que se sabe sobre o filme: Será lançado em formatos 2D e 3D. A trama é como uma sequência da história original. Após ser pedida em casamento, Alice foge e reencontra o Coelho Branco. Ela o persegue e cai em Wonderland, ou Underland, como diz o filme de Tim Burton, e encontra o mundo dominado pela Rainha de Copas.

The Ghost Writer, novo filme de Polanski, era o favorito a levar o Urso de Ouro no Festival de Berlin. O turco Bal, de Semith Kaplanoglu, levou o prêmio, mas Polanski – em prisão domiciliar – levou o Urso de Prata de Diretor. O filme é baseado no livro O Fantasma, de Robert Harris. Um ghost writer (Ewan McGregor) se vê em perigo ao investigar o passado de um ex-primeiro ministro britânico (Pierce Brosnan), a fim de terminar sua “autobiografia”.

Indicado ao Oscar de Filme Estrangeiro, O Profeta tem recebido boa aceitação. Malik El Djebena tem 19 anos, analfabeto e foi condenado a 6 anos de prisão.  Encarcerado, ele recebe ordens e missões do líder de uma gangue. Com o tempo, ele passa a ter seus próprios planos até virar um líder. Estréia dia 30 de abril.

o filme da menina morta

Assisti Um Olhar do Paraíso (The Lovely Bones) sem ter lido o livro de Alice Sebold antes, mesmo assim ficou um resquício de insatisfação. Não que seja insuportável aos olhos, já havia lido críticas mistas sobre o filme e não esperava uma obra prima, mas Peter Jackson é Peter Jackson. Susie tinha 14 anos quando foi estuprada e assassinada por um vizinho. Do “limbo”, um pré-Céu, ela acompanha como a família lida com sua morte, a busca pelo assassino e também a vida do homem que a matou. Acontece que o pré-Céu e o mundo dos mortais não se encaixam como deveria, coisas que o cinema ainda não consegue mostrar de forma simples para um platéia tão heterogênea.

Particularmente, o pré-Céu de Susie me incomodou esteticamente, parece uma colagem de e-mails .pps com mensagem sobre a vida. As aparições e o sobrenatural ficaram meio Ghost Whisperer ao meu ver. Mas vamos aos pontos positivos: Saorise Ronan cresceu e continua excelente atriz. Depois de tantos personagens simpáticos, Stanley Tucci dá arrepios como o vizinho maníaco. Susan Sarandon está impecável como sempre e Mark Wahlberg parece pertencer aos anos 70. E é tão bom ver Michael Imperioli.

sexta-feira + oscar

Com o carnaval chegando ao fim, os cinemas no Brasil despejam quatro filmes com indicações ao Oscar.

Um Homem Sério (Serious Man) – Melhor Filme. O mais recente dos irmãos Coen se passa em 1967 e conta a vida loser de Larry Gopnik, um professor universitário que está sendo deixado pela mulher. Para completar sua vida desprezível, seu irmão mora com ele, o filho é rebelde e péssimo aluno, e a filha rouba dinheiro para fazer uma plástica no nariz. Para tentar resolver sua vida, Larry pede ajuda a três rabinos.

Um Olhar do Paraíso (The Lovely Bones) – Melhor Ator Coadjuvante (Stanley Tucci). Peter Jackson adapta o livro Uma Vida Interrompida, de Alice Sebold. A crítica ficou um tanto decepcionada com o resultado, mas o público abraçou a história de Susie, assassinada aos 14 anos, e como sua morte alterou a vida de sua família. De seu mundo perfeito, Susie acompanha a tentativa de encontrar seu assassino, o vizinho interpretado por Tucci.

Educação (An Education) – Melhor Filme, Atriz (Carey Mulligan), Roteiro Adaptado. Jenny é uma estudante brilhante que aspira estudar em Oxford, até que um homem mais velho atravessa seu caminho e lhe apresenta uma vida mais excitante.

O Mensageiro (The Messenger) – Melhor Ator Coadjuvante (Woody Harrelson) e Roteiro Original. Após ser ferido no Iraque, o soldado Will (Ben Foster) volta aos EUA e é remanejado para outro serviço, notificar o falecimento de militares aos seus familiares. Acaba fazendo amizade com seu companheiro Tony (Harrelson), mas seu dilema começa ao se apaixonar por uma das viúvas notificadas. O destaque fica para as interpretações de Foster, Harrelson e Jenna Malone.

O palco do próximo Oscar ficará assim:

Bem parecido com o do ano passado. A cortina Swarovski ficará mais comprida, a platéia continuará mais próxima ao palco, mas ele será todo branco, num visual clean que remete ao glamour da Hollywood dos anos 50. Segundo os organizadores, a cerimônia será mais dinâmica, rápida e movimentada, com plataformas giratória e telas de led que permitirão os apresentadores “saírem” da tela.

“Queremos fazer um evento que venda o cinema. Um evento que faça as pessoas em casa quererem sair para ir ver um filme ou comprar um DVD, ou um CD de trilha.”, diz o co-produtor Adam Shankman (Hairspray), que enfatiza que a música e dança estarão presentes como nunca se viu nos 82 anos do Oscar. Porém, não haverá apresentações ao vivo das canções indicadas…

O Oscar acontece no dia 7 de março, com apresentação de Alec Baldwin e Steve Martin. A TNT fará a transmissão no Brasil.