duas mulheres

Com muito atraso terminei de ver a primeira temporada de Nurse Jackie. Edie Falco se liberta de Carmela e faz de Jackie uma das personagens mais complexas da atualidade. Apesar de ser ambientada num hospital, a série não é focada nos pacientes, e sim nas minuciosas das relações de Jackie com cada personagem. Seja sua filha com problemas de ansiedade ou o médico playboyque agarra peitos quando está nervoso. No início, compararam Jackie a House. Eles podem até ter algumas semelhanças (ambos são viciados e frequentemente não obedecem regras), mas os conflitos de Jackie estão mais em sua imperfeição que em sua genialidade. A segunda temporada estréia em março.

The Good Wife é a melhor estréia dramática do fall season. Uma série muito bem equilibrada, cada episódio consegue manter o ótimo nível ao mesclar o caso do dia com a vida de Alicia. O plot: Alicia é a mulher de um procurador envolvido num escândalo com prostitutas. Ele é preso e ela recomeça sua vida voltando a advogar. Se o sobrenome do marido influencia na sua vida profissional, também a humilha ao ter a intimidade de sua família escancarada eternamente no Youtube.

O melhor de The Good Wife não é o texto nem a direção, não que sejam ruins, mas na escalação de Juliana Margulies como Alicia. A série estreante já deu a ela um Globo de Ouro de Melhor Atriz em Série Dramática e um SAG na mesma categoria. A produção é assinada pelos irmãos Ridley e Tony Scott.

lost

Contagem regressiva para a derradeira volta de Lost – dia 2, nos EUA. Por aqui, o AXN foi inteligente e estréia a 6ª temporada uma semana depois, no dia 9 (terça-feira, às 21:00). Então, ontem “vazaram” 4 minutos do 6×1, que você pode conferir logo abaixo. Acho que vale mais a pena esperar a estréia.

Para recapitular o que aconteceu até agora, lost em 8 minutos e 15 segundos. “Very sad”.

E a queda do avião como em 24.

hbo – 2010

Já faz um tempo que a tv anda tão ou mais interessante que o cinema. Quem tem acompanhado esta evolução, sabe que o selo HBO é garantia de qualidade. Para este ano, há a estréia de 3 novas séries, incluido a já badalada Boardwalk Empire. Além do retorno de True Blood, Hung, Bored to Death e a minissérie The Pacific.

Boardwalk Empire

Boardwalk Empire tem a assinatura de Martin Scorsese e vai contar como o político/gangster Nucky Thompson criou e comandou Atlantic City nos anos 1920. A série é uma adaptação do livro homônimo de Nelson Johnson, e tem como roteirista e produtor Terence Winter, de Sopranos. Boardwalk Empire terá 12 episódios e sua estréia acontecerá no outono americano (setembro/outubro).

Treme

A nova série mostra a vida de alguns músicos que sobreviveram ao Katrina, a luta deles para reconstruir suas vidas e de resgatar a cultura da região. Treme refere-se a um dos bairros mais antigos de New Orleans.  A série é dos mesmos criadores de The Wire e estréia em abril.

The Pacific

The Pacific é adaptação do livro Helmt for My Pillow, de Robert Lackie. A minissérie terá 10  partes e acompanhará três soldados americanos durante a Segunda Guerra. A produção é de Steven Spielberg e Tom Hanks. Meio Band of Brothers II, não? A estréia é em março.

Ah, sim, se você acha que já viu o rapaz que aparece no trailer, você não está maluco. É o mesmo menino de Jurassic Park, Joseph Mazzello.

quem quer ser homem-aranha?

Após divergências criativas com Sam Raimi, a Sony decidiu cancelar Homem-Aranha 4 e reiniciar a série. O que o estúdio quer é mandar Peter Parker de volta para o high school e concentrar-se mais nos dilemas adolescentes. O orçamento encolheu bastante, de 200 milhoes para 80 milhões de dólares. A direção já é de Marc Webb, do bacana 500 Dias com Ela, mas quem será o novo aracnídeo?

Sites já disparam candidatos, alguns um tanto exagerados, como Daniel Radcliffe e Robert Pattinson. Jake Gyllenhaal também tem apostadores, mas ele já não convence mais como adolescente. Além do mais, o novo orçamento não permite salários tão expressivos. Os atores que mais têm chances, na minha opinião, estão logo abaixo.

Jim Sturgess – Seria um ótimo Homem-Aranha, talvez um pouco “velho”, mas tem carisma e é bom ator. Quando Julie Taymor anunciou o musical do Homem-Aranha, foi cotado para o papel título. Claro que os rumores vieram na onda de Across the Universe. Ah, sim. Evan Rachel Wood, parceira de Jim no filme, será Mary Jane na Broadway.

Aaron Johnson – A gente vai conhecer melhor este ator em abril, quando Kick-Ass estrear. Bom, já tem um super-herói no currículo. Ele tem 18 anos, cara de adolescente nerd e barriga tanquinho – parece classificado de garoto de programa. Mas enfim, fique de olho.

Anton Yelchin – Este é o nome do garoto que você já viu num monte de filmes. Não o vejo como Peter Parker e implico com sua voz. Já fez um vários papéis bacanas, como em Huff e Charlie Barlett. Seus últimos trabalhos foram em filmes de ação, como O Exterminador do Futuro 4  e Star Trek.

No final das contas, nenhum deles vai ser Homem-Aranha, e sim um ator desconhecido.

sr. raposo

É difícil não gostar do George Clooney. Ele é boa gente, bonito, charmoso, inteligente e bom ator. Quer mais? Ainda escolhe muito bem os seus papéis. Com Amor Sem Escalas não é diferente. Ryan Bingham é contratado por empresas para demitir pessoas, o trabalho exige que ele passe o ano todo viajando de cidade em cidade, habitué de aeroportos e hotéis executivos. Pode parecer massante, mas ele ama sua vida e sua meta é atingir um determinado número de milhas. As coisas ficam mais coloridas quando ele conhece uma equivalente a ele, interpretada pela interessante Vera Farmiga, e quando uma novata se torna sua “assistente”.

Apesar do título nacional, Up in the Air não é uma comédia romântica, encaixa-se mais na categoria comédia dramática, especialidade do diretor Jason Reitman, de Obrigado por Fumar e Juno. Os diálogos são espertos como a direção, o roteiro é assinado pelo próprio Reitman e Sheldon Turner, e têm o conforto de contar com um elenco tão centrado, além das participações especiais de Jason Bateman e J. K. Simmons. Acumule suas milhas e vá ao cinema.

holmes 2010

Coincidência ou não, a 2nd Floor se inspirou no universo de Sherlock Holmes para sua coleção de outono/inverno 2010.  A marca é a segunda bandeira da Ellus, destinada a um público mais jovem e urbano.

É claro que a equipe de criação não se inspirou no filme do Guy Ritchie, afinal são árduos meses para produzir um desfile. Achei um belo trabalho de edição e tradução. Mesmo sem saber qual é o tema, é possível identificar elementos desse universo. Elegante e jovem. Atenção para o sapatos.

Pelas fotos não dá para perceber, mas algumas camisas são estampadas com mini corujas, cachimbos e lobos. Há ainda o tradicional xadrez. Alguém me arranja um desses óculos!

mãe dináh

Então, não disse que deu a louca nos membros da HFP? E errei feio, mas fiquei feliz por ter errado.

Melhor Filme Drama

Avatar

Melhor Filme Comédia ou Musical

Nine Se Beber Não Case – Putz, nem passou pela minha cabeça.

Melhor Diretor

James Cameron (Avatar)

Melhor Atriz Dramática

Gabire Sadibe Sandra Bullock – Bem que muitos já previam.

Melhor Ator Dramático

George Clooney Jeff Bridges

Melhor Atriz Comédia ou Musical

Maryl Streep (Julie e Julia)

Melhor Ator Comédia ou Musical

Michael Stuhlbarg Robert Downey Jr. – Surpresa!

Melhor Atriz Coadjuvante

Mo-Nique (Preciosa)

Melhor Ator Coadjuvante

Christopher Waltz – Barbada.

Melhor Roteiro

Guerra ao Terror – Jurava que tinha colocado Amor Sem Escalas.

Melhor Filme Estrangeiro

Baaria – A Fita Branca

Melhor Animação

Up

Melhor Série Drama

Mad Men

Melhor Série Comédia

30 Rock Glee – Feliz com o resultado, mas acho que Glee só passa a merecer a badalação depois do 9º episódio.

Melhor Atriz em Série Drama

Glen Close Julianne Margulies – Merecido!

Melhor Ator em Série Drama

Hugh Laurie Michael C. Hall – !!!! Depois de anos na fila (desde A Sete Palmos)

Melhor Atriz em Série Comédia

Toni Collette

Melhor Ator em Série Comédia

Alec Baldwin

————————————————————————————————

O gosto popular reinou na categoria cinema do 67º Globo de Ouro, o que tem irritado parte dos “entendedores” de filmes. Francamente, quem gosta de cinema não vê filme por gênero, nacionalidade, elenco, diretor. Vai de mente aberta e fica muito feliz quando é surpreendido. Ainda não vi O Lado Cego (prev. 26/03), mas por que a Sandra Bullock não pode ganhar o prêmio de melhor atriz? Porque ela fez um monte de comédias românicas? E Avatar? Merecia menos que seus concorrentes? Tudo o que o cinema não precisa é de uma platéia que se limita. Às vezes a gente deixa de ver ótimos filmes por puro preconceito.

j

prova de fogo

A entrega dos Globos de Ouro começa daqui a pouco, às 22 horas. Visto como um termômetro do Oscar, este anos o prêmio dados pelos jornalistas estrangeiros é um tanto imprevisível. Algumas indicações foram surpresas, como a dupla de Sandra Bullock. Se até dezembro Amor Sem Escalas era o favorito, Avatar virou um grande concorrente. A lista das minhas aposta está abaixo. Vamos ver se eu acerto uma!

Melhor Filme Drama

Avatar – Acho que Avatar estreou no momento certo e causou o impacto certo.

Melhor Filme Comédia ou Musical

Nine – Pelo Rotten Tomatoes, ninguém gostou do filme, mas a Associação elogiou bastante o filme de Rob Marshall.

Melhor Diretor

James Cameron (Avatar) – Acho que fica entre Cameron e Reitmant Bigelow. Aposto mais em Cameron.

Melhor Atriz Dramática

Gabire Sadibe (Preciosa) – Minha aposta, mas tenho grandes chances de errar. Hellen Mirren é eterna favorita.  

Melhor Ator Dramático

George Clooney (Amor Sem Escalas) – Os votantes devem ter pensado muito nesta categoria.

Melhor Atriz Comédia ou Musical

Maryl Streep (Julie e Julia) – Maryl concorre contra ela mesma, mas acho que vai dar Julie e Julia.

Melhor Ator Comédia ou Musical

Michael Stuhlbarg (O Homem Serio)

Melhor Atriz Coadjuvante

Mo-Nique (Preciosa)

Melhor Ator Coadjuvante

Christopher Waltz (Bastardos Inglorios)

Melhor Roteiro

Guerra ao Terror

Melhor Filme Estrangeiro

Baaria

Melhor Animação

Up

Melhor Série Drama

Mad Men – Mas queria muito a vitória para True Blood ou Dexter.

Melhor Série Comédia

30 Rock – Não aguento mais 30 Rock, que nem anda muito bem. Prefiro Modern Family.

Melhor Atriz em Série Drama

Glen Close – Dúvida.

Melhor Ator em Série Drama

Hugh Laurie – Ele merece sempre, mas poderia dividir com Michael C. Hall.

Melhor Atriz em Série Comédia

Toni Collette – Ou Edie Falco, chega de Tina Fey.

Melhor Ator em Série Comédia

Alec Baldwin

pasárgada

Ontem fui ver o filme que mais esperei em 2009, a adaptação de Onde Vivem os Monstros. Antes de mais nada, não é um filme para crianças, mas sobre a infância. Max é um garoto solitário, sem amigos e com pais divorciados. A irmã já é adolescente e prefere sair com os amigos a dar atenção ao irmão. Para completar o mundo de Max, a mãe está começando um namoro. Após um incidente em casa, Max foge de casa e encontra a ilha onde vivem os Wild Things do título.

Cada Monstro revela-se como um dos sentimentos de Max, e ele logo se afeiçoa a Carol (voz de James Gandolfini) e KW (voz de Lauren Ambrose), tornando-se o rei daquela ilha. O reino onde todos serão eternamente felizes começa a ruir, e é aí que está a delicadeza da história.

Adultos costumam “inferiorizar” os sentimentos e os medos das crianças, o que é um grande crime. Sentimentos são tão complexos para elas quanto para nós. Acho que todos já fomos como Max, eu pelo menos já tentei fugir de casa dezenas de vezes. Já é redundante dizer que eu me vi no filme.

Spike Jonze trabalha novamente com a solidão de uma forma encantadora, utilizando uma bela fotografia e trilha composta por sua ex-namorada Karen O. Os Monstros são “interpretados” ainda por Paul Dano, Catherine O’Hara, Forrest Whitaker e Chris Cooper, porém o filme é de Max Records (adoro o nome dele), que tem a incrível sensibilidade de ser selvagem e inconstante ao mesmo tempo.